Tamanho do texto

Atacante só foi chamado porque Roberto Firmino e Kaká se lesionaram depois que Dunga anunciou a convocação

Jonas, atacante da seleção brasileira
Lucas Figueiredo / MoWA Press
Jonas, atacante da seleção brasileira


O atacante Jonas foi a principal novidade da lista dos convocados para a seleção brasileira que enfrenta o Uruguai e o Paraguai, pelas Eliminatórias para a Copa de 2018. O jogador do Benfica, líder na briga pela Chuteira de Ouro, prêmio dado ao artilheiro da Europa, contou nesta quarta-feira que quase ignorou a convocação por não querer atender o telefone e sua sogra foi quem lhe salvou de retornar à seleção.

"Eu tinha acabado de voltar do treino (do Benfica) no sábado. Me ligaram do código 021, achei que não era algum conhecido e nem quis atender. Deixei para minha sogra fazer isso. Quando atendeu e viu que era o Gilmar Rinaldi (coordenador da seleção) na hora entendi que seria a convocação e fiquei muito feliz. Isso é reconhecimento do meu trabalho", disse o atacante, que só foi chamado porque Roberto Firmino, que havia sido convocado para o lugar de Kaká, machucado, também sofreu uma lesão.

E MAIS:

Alisson vê encontro com Suárez como um de seus maiores desafios na seleção

Vírus zika se torna foco de preocupação para jogo da seleção em Pernambuco

O atacante admite que esperava pela convocação desde o início, mas não chegou a se frustrar, por entender que em sua posição, o técnico Dunga tem muitas boas opções. Para o jogo com o Uruguai, a tendência é que o treinador escale um time sem centroavante, com Willian e Douglas Costa chegando de trás para auxiliar Neymar.

O jogador do Benfica, que já atuou diversas vezes como centroavante, para ter chance de brigar por uma vaga no time, ressaltou que pode atuar em outras funções também. Por isso, não aceita ser chamado de centroavante. "Até porque, não tenho jogado assim no Benfica. A maioria dos times jogam com jogadores de movimentação no ataque e eu me encaixo nesse perfil", explicou.

"No futebol de hoje, poucos clubes utilizam centroavante. Acho que vai de acordo com o treinador e com o adversário. Algumas equipes optam por utilizar jogadores de área de acordo com o adversário. Eu não sou um camisa 9 puro. Gosto de vir buscar a bola e me movimentar de forma intensa. Se ficar parado, facilita a marcação do adversário", analisou.

A seleção faz nesta quarta-feira o último treino na Granja Comary antes da partida contra o Uruguai, sexta-feira, na Arena Pernambuco. Na quinta, a delegação viaja pela manhã para Recife e à noite faz reconhecimento do gramado. Antes, o técnico Dunga atenderá a imprensa.