Tamanho do texto

Ex-jogador já vinha sendo investigado pela própria Federação Alemã de Futebol e agora é suspeito de envolvimento de corrupção na escolha da Copa do Mundo de 2006

A Fifa anunciou nesta terça-feira que decidiu abrir um inquérito para investigar o ex-jogador alemão Franz Beckenbauer por suborno. Ele é um dos suspeitos de envolvimento em casos de corrupção quando chefiou a candidatura de seu país para organizar a Copa do Mundo de 2006.

Michel Platini, Joseph Blatter e Franz Beckenbauer juntos durante evento em 2007
REUTERS/Jean-Bernard Sieber-ARC/Files
Michel Platini, Joseph Blatter e Franz Beckenbauer juntos durante evento em 2007

A decisão da abertura do inquérito foi tomada pelo Comitê de Ética da Fifa, que investigará também outros cinco envolvidos na candidatura da Alemanha para aquele Mundial. A entidade considerou que as primeiras pesquisas sobre o caso mostraram a possibilidade cada vez maior de o país ter se utilizado de conduta imprópria para conseguir o direito de sediar a Copa.

Leia

Estádio do Corinthians é citado na Lava Jato e vira alvo de investigação

Mês da mulher: elas têm tudo para fazer bonito nas Olimpíadas do Rio

Beckenbauer já vinha sendo investigado pela própria Federação Alemã de Futebol (DFB), que iniciou um inquérito por conta própria para tentar evitar maiores sanções. O dirigente e o ex-presidente da DFB - atual membro do Comitê Executivo da Fifa - Wolfgang Niersbach, além de outros dirigentes do futebol alemão, foram citados no relatório inicial da federação.

Os membros do Comitê de Ética da Fifa explicaram que abriram o inquérito contra Beckenbauer e outros três funcionários vinculados com "possível pagamento e contratos indevidos" durante o processo de campanha da Alemanha para receber o Mundial. Niersbach e outro funcionário serão investigados por não terem reportado a conduta antiética e o conflito de interesses.

A suspeita sobre Beckenbauer e a candidatura alemã foi levantada no ano passado, depois que a revista Der Spiegel publicou denúncia de que o país contava com uma "caixa-preta" com a qual teria comprado votos de integrantes do Comitê Executivo da Fifa naquela disputa.

A publicação garantiu que houve mais de US$ 6 milhões em suborno envolvidos para conquistar os votos de quatro representantes asiáticos no Comitê Executivo da Fifa, que conta com 24 membros. Beckenbauer e Nierbasch admitiram o envio do dinheiro à entidade mas garantiram que tratava-se de um pagamento para que o país garantisse direito a um depósito para o início da organização do Mundial.