Tamanho do texto

Italiano de nascimento, Giovanni atua na Udinese, onde seu pai fez sucesso na década de 90, e já pensa em voos mais altos

Giovanni Amoroso e Márcio Amoroso. Talento de pai para filho
Arquivo pessoal
Giovanni Amoroso e Márcio Amoroso. Talento de pai para filho


Márcio Amoroso, ou apenas Amoroso, foi um dos principais atacantes brasileiros da década de 90 e dos anos 2000, brilhando em clubes da Europa como Udinese, Parma e Borussia Dortmund, além de ser fundamental nas conquistas da Libertadores e do Mundial de Clubes com a camisa do São Paulo, em 2005. Atualmente aos 41 anos de idade, ele está aposentado, mas o sobrenome promete continuar dando o que falar pelo mundo.

E MAIS

Com pressão de time grande, brasileiro se aventura no crescente futebol albanês

Na "contramão do mercado", chinês tenta vencer no futebol brasileiro

Isso porque Giovanni Amoroso, filho do ex-jogador, já começa a fazer sucesso nos campos italianos pela Udinese, clube pelo qual o pai fez 42 gols em 103 jogos entre 1996 e 1999. Aos 18 anos de idade, o jovem Amoroso está em território europeu há duas temporadas depois de jogar na base do Guarani, em Campinas.

Giovanni Amoroso atua na base da Udinese
Arquivo pessoal
Giovanni Amoroso atua na base da Udinese

"Nesses dois anos que estou na Udinese eu evoluí muito, é um futebol totalmente diferente do brasileiro, aqui tem muito mais contato. Cheguei de um jeito e estou completamente diferente, fisicamente também. Cresci profissionalmente, tanto dentro quanto fora de campo", disse Giovanni em conversa com o iG Esporte .

"Aqui eu atuo como atacante, ponta esquerda, mas posso jogar como meio-campista, meia-ofensivo, sem nenhum problema. No momento sou titular, mas já tive problemas com documentação, fiquei um ano parado só treinando, sem poder jogar. Só agora nesse ano que venho tendo mais oportunidades", explicou.

Acredito nele pelo potencial que tem, finalizador nato e dentro da área tem muita qualidade"

O pai de Giovanni, o ex-jogador Márcio Amoroso, também falou com exclusividade ao iG Esporte e mostrou confiança no sucesso do filho. "Ele está com uma bagagem importante para o início da carreira. Acredito nele pelo potencial que tem, finalizador nato e dentro da área tem muita qualidade", resumiu.

E o futebol do jovem Amoroso começa a aparecer de verdade. Recentemente ele marcou um belo gol que repercutiu bastante por lá e, aos poucos, vai cravando sua vaga no time titular. "Esse gol foi apenas meu segundo jogo como titular, então aproveitei a chance. Agora estou começando a jogar bastante desde o início dos jogos", disse.

Assista ao golaço no vídeo abaixo :


E como foi que surgiu a oportunidade de ir para Udinese? "O presidente do clube gosta muito do meu pai e já tinha falado que quando ele quisesse, poderia me trazer para fazer testes no clube. Meu pai esperou eu me formar, pegar uma base no Guarani e no futsal, no Pulo do Gato, e quando ele achou que eu estava pronto, me trouxe para Itália. Não tenho empresário, sempre meu pai que cuidou de tudo", comentou Giovanni.

O Brasil ensina mais tecnicamente, mas lá foi importante nesses dois anos porque deu uma base física e tática muito boa para ele"

O pai também comentou sobre a ida do filho ao futebol italiano. "Ele começou um pouco atrasado devido às minhas mudanças de clube e não tive oportunidade de colocá-lo desde o início para que pudesse jogar em escolinha e ter uma sequência", comentou.

"Aí ele começou com 14 anos no futsal, depois ficou um ano e meio no Guarani e depois foi para Itália, e lá ele cresceu bastante. Cresceu fisicamente, está mais forte. O Brasil ensina mais tecnicamente, mas lá foi importante nesses dois anos porque deu uma base física e tática muito boa para ele, difícil de os garotos conseguirem isso nessa idade", disse Amoroso.

DE OLHO NO PROFISSIONAL

O filho do ex-atacante está no seu último ano na categoria de base e, na teoria, teria que subir ao profissional na próxima temporada. Ele pode até ficar mais um ano no sub-19 da Udinese, mas existe a possibilidade de uma mudança para outros centros da Europa. "Posso até mesmo ir para Alemanha ou Espanha me profissionalizar. Estou vendo ainda qual é a melhor opção, vou decidir até o meio do ano", revelou.

Márcio Amoroso confirmou a sondagem de outros clubes pelo filho. "Já pintaram algumas oportunidades para ele poder sair, e a própria Udinese disse que até seria bom ele sair, jogar uns três anos por outro clube, sem ter a pressão de ter que subir rápido ao profissional e quem sabe voltar. No meio do ano tem alguns clubes que já querem profissionalizar ele", revelou.

Giovanni Amoroso em ação pela Udinese
Arquivo pessoal
Giovanni Amoroso em ação pela Udinese

BRASIL OU ITÁLIA?

Giovanni Amoroso é italiano - ele nasceu quando seu pai jogava justamente na Udinese -, então tem dupla cidadania e passaporte europeu. Quando questionado sobre qual país poderia escolher no futuro para jogar, ele ficou dividido. "Ainda não sei por qual optar, pela seleção italiana ou brasileira. Vamos ver qual aparece a oportunidade primeiro. Mas tomara que apareça na amarelinha", disse.

"Isso aí cabe a ele decidir, depende de qual país vai olhar primeiro com carinho para dar essa chance", comentou o ex-jogador Amoroso sobre o assunto. "Ele nasceu na Itália, vai dar sequência na família Amoroso pelo Italiano. Mas seleção brasileira é seleção brasileira né? Eu defendi com maior orgulho minha pátria e ele tem que decidir, só cabe a ele, não a mim", completou.

TAL PAI, TAL FILHO

Como não poderia ser diferente, o grande ídolo de Giovanni é seu pai Márcio. Mesmo sem ter visto o velho Amoroso em ação, o jovem Amoroso assiste vídeos antigos para se inspirar. "Me espelho muito no meu pai, já vi vários vídeos de gols, jogadas, posicionamento, movimentação. Quando ele jogava eu era criança, não tinha muita noção, não prestava atenção. Só agora que vejo no Youtube, ele sempre me manda os vídeos e fala para eu olhar. Quando ele vem me ver jogar, sempre me corrige. É meu ídolo, né?", contou.

Amoroso foi goleador por onde passou
Getty Images
Amoroso foi goleador por onde passou

"Vejo também muitos vídeos do Neymar. Porque depois do meu pai, meu grande ídolo é o Neymar, sem dúvida. Sempre que tem jogo do Barcelona vejo ele, o Messi, a movimentação e o que eles fazem para buscar o gol. Estou sempre olhando e tentando aplicar em mim nos jogos", complementou o atleta.

E o ex-atacante admitiu que sempre passa as dicas para o herdeiro melhorar. "Procuro ensinar, mostrar os movimentos para que ele corte um pouco de caminho, como tem que se posicionar, como ele teria que atacar em profundidade, finalizar. Então essa experiência que a gente procura passar para os filhos", contou Amoroso pai.

VIDA EM UDINE

A vida de Giovanni Amoroso na Itália é tranquila e, segundo ele, sem a tentação da fama e de mulheres. "A Udinese paga um flat para mim, eu fico no quarto com um jogador português do time. Namorei por três meses aqui, mas estou bem tranquilo. Nem penso em mulherada no momento, só penso em assinar meu contrato para virar profissional. Aqui não tem essa coisa de fama, é uma cidade tranquila e não tem esse problema de mulheres", finalizou.