Tamanho do texto

O juiz da 2ª Vara Cível do Butantã determina a busca e apreensão dos documentos pedidos

José Francisco Manssur, vice de comunicações do São Paulo
Site oficial
José Francisco Manssur, vice de comunicações do São Paulo


A Justiça determinou em sentença publicada nesta quinta-feira que o São Paulo mostre a dois conselheiros do clube documentos dos serviços jurídicos prestados pelo escritório de advocacia do atual vice-presidente de comunicações e marketing do clube, José Francisco Manssur. O juiz Carlos Eduardo Santos Pontes de Miranda, da 2ª Vara Cível do Butantã, determina a busca e apreensão dos documentos pedidos.

Os requerentes, Danilo Decoussau e Erovan Tadeu Carmo, são conselheiros do São Paulo e pedem o demonstrativo ou ata de reunião bimestral convocada pelo Conselho Deliberativo sobre contratos de serviços jurídicos ou honorários advocatícios firmados, documento sobre a contratação do escritório e notas com a apresentação dos demonstrativos financeiros de saídas de dinheiro.

Para a sentença, que tem o São Paulo como réu, cabe recurso. O processo se iniciou há dois anos e o clube se defendia ao alegar que aos autores da ação faltava legitimidade e competência para examinar e aprovar as contas. Pela sentença do juiz o clube terá de pagar R$ 1 mil das despesas processuais.

Segundo especialistas ouvidos pela reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, por se tratar de um processo cautelar, um recurso não suspenderia o cumprimento da decisão até o julgamento. A tendência é que a sentença seja cumprida imediatamente, com o mandado do juiz para que um oficial de justiça faça a busca dos documentos solicitados.

De acordo com a assessoria de imprensa do São Paulo, os contratos e notas do escritório estão há meses com o Conselho Consultivo, que já foi cobrado por Manssur para que apresentasse o material nas reuniões do clube.

O escritório de Manssur, o AMVO, prestou serviços jurídicos ao São Paulo entre 2008 e 2014. Já o atual vice de comunicações e marketing assumiu o atual cargo na diretoria em outubro do ano passado, com a eleição de Carlos Augusto de Barros e Silva à presidência do São Paulo.