Tamanho do texto

Os clubes convocados são: Corinthians, Palmeiras, Portuguesa, São Paulo e Santos

Torcida organizada do São Paulo
Newton Menezes/Futura Press
Torcida organizada do São Paulo


A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Torcidas Organizadas da Câmara Municipal de São Paulo aprovou na tarde de hoje (9), por unanimidade, a convocação dos presidentes dos principais clubes de São Paulo a comparecerem em reunião para depor sobre as agressões ocorridas em dias de jogos na cidade e, especialmente, a agressão contra o presidente da torcida organizada Gaviões da Fiel, Rodrigo Azevedo.

Os clubes convocados são: Corinthians, Palmeiras, Portuguesa, São Paulo e Santos. Também foi aprovada a convocação de presidentes de torcidas organizadas, incluindo Gaviões da Fiel, Dragões da Real, Mancha Verde, Uniformizada do Palmeiras, Pavilhao 9, Camisa 12, Leões da Fabulosa e Torcida Jovem.

E MAIS
Presidente da Gaviões da Fiel é espancado ao sair de reunião com promotor

Especialistas no tema também serão convocados, entre eles estão o professor Flávio de Campos, do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Sobre Futebol e Modalidades Lúdicas, a professora Rosana da Câmara Teixeira, da Universidade Federal Fluminense, e o professor Bernardo Buarque de Hollanda, da Fundação Getúlio Vargas.

A Polícia Civil abriu na última quinta-feira (3) inquérito para apurar o ataque sofrido pelo presidente e primeiro-secretário da torcida organizada Gaviões da Fiel. Rodrigo de Azevedo Lopes Fonseca e Cristiano de Morais Souza foram agredidos após saírem na tarde do dia 2 de março de uma reunião com outros líderes de torcidas organizadas e o Ministério Público no Fórum Criminal da Barra Funda, zona oeste da capital paulista.

Histórico de brigas

O presidente da Gaviões da Fiel, Rodrigo Fonseca, conhecido como Diguinho, é um dos réus no processo sobre a morte de dois torcedores palmeirenses em março de 2012. Na última segunda-feira (29), a juíza Flávia Castellar Olivério começou a ouvir as testemunhas de acusaçãodo caso.

Fonseca também é réu pelo assassinato de um palmeirense em uma briga de torcidas em 2005, na Estação Tatuapé do metrô, na zona leste capital. O caso deveria ter ido a juri no ano passado, mas o julgamento acabou adiado por um recurso da defesa.

    Leia tudo sobre: Futebol