Tamanho do texto

Quando a PM chegou ao local, o tumulto já havia acabado. Os acusados pela agressão ainda não foram identificados

Rodrigo de Azevedo Lopes Fonseca, conhecido como Diguinho, presidente da Gaviões da Fiel
Reprodução
Rodrigo de Azevedo Lopes Fonseca, conhecido como Diguinho, presidente da Gaviões da Fiel


O presidente da Gaviões da Fiel, principal organizada do Corinthians, Rodrigo de Azevedo Lopes Fonseca, conhecido como Diguinho, e o primeiro-secretário da torcida, Cristiano de Morais Souza, o Cris, foram espancados por volta das 12h desta quarta-feira. O confronto ocorreu no estacionamento de um supermercado na Capital.

Diguinho e Cris foram agredidos quando estavam saindo de uma reunião entre torcidas organizadas no Fórum Criminal da Barra Funda. O encontro foi convocada pelo promotor Paulo Castilho, do Ministério Público do Estado de São Paulo.

CONFIRA TAMBÉM
Justiça mantém condenação de ex-presidente do Corinthians por improbidade

Cris teve vários dentes da boca quebrados e sofreu ferimentos na cabeça. Já Diguinho quebrou os dois braços. Ambos foram atingidos por barras de ferro. 

A Secretaria de Segurança Pública confirmou a briga, mas informou que não foi registrado de ocorrência. Quando a Polícia Militar chegou ao local, o tumulto já havia acabado. Os acusados pela agressão ainda não foram identificados. 

A primeira suspeita entre os integrantes da Gaviões da Fiel era de que os diretores da organizada teriam sido agredidos por torcedores do Palmeiras. Depois, veio a versão de que são-paulinos que estariam em um automóvel Tucson, da marca Hyundai, foram os responsáveis pelo espancamento.