Tamanho do texto

Brayan Jiménez, 61 anos, está detido desde o dia 13 de janeiro

Brayan Jiménez, ex-presidente da federação de futebol da Guatemala
Reprodução
Brayan Jiménez, ex-presidente da federação de futebol da Guatemala

Brayan Jiménez, ex-presidente da Federação de Futebol da Guatemala, vai responder à Justiça dos Estados Unidos sobre a acusação de estar envolvido no caso de corrupção que atingiu a cúpula do futebol nas Américas. Rudy Esquivel, porta-voz da direção do sistema penitenciário guatemalteco, confirmou a extradição de Jiménez para esta terça-feira.

Leia mais:  Por terrorismo, Uefa admite que jogos da Eurocopa poderão acontecer sem público

O dirigente, de 61 anos, está detido na Cidade da Guatemala desde o dia 13 de janeiro e vai chegar aos Estados Unidos num voo comercial. Ele é acusado pela Justiça norte-americana de ser um dos vários cartolas do futebol latino-americano que pactuaram subornos milionários em troca da cessão dos direitos comerciais e de transmissão de torneios de futebol da Concacaf e da Conmebol.

O ex-secretário geral da federação guatemalteca, Héctor Trujillo que também era suplente na Corte de Constitucionalidade da Guatemala, foi detido em dezembro também como consequência das investigações em curso nos Estados Unidos. Ele foi preso na parada de um cruzeiro na Florida, pagou fiança e responde em liberdade.