Tamanho do texto

Antes marginal, China se transforma em protagonista e conquista jogadores brasileiros como no 'el dorado' do futebol

Ralf, ex-Corinthians, e Geuvânio, ex-Santos, trocaram o Brasil pela China
Arquivo iG
Ralf, ex-Corinthians, e Geuvânio, ex-Santos, trocaram o Brasil pela China

Quando o Corinthians anunciou em 2012 o atacante Cheng Zhizhao como seu novo reforço, dizia que a idéia era apresentar a marca do clube ao mercado da China e assim fortalecer sua imagem. Quatro anos depois, o mercado do país asiático mostrou que passou a observar não só o Corinthians, mas todos os times do Brasil. 

Leia também: 

+ Novo presidente da Fifa promete à CBF forma para compensar clubes brasileiros

+ Após vistoria, Rio-2016 reitera que acidente no Itaquerão não prejudicará Jogos

Durante a janela de transferências chinesa, que se encerrou na última sexta-feira (26) os asiáticos causaram temor nas principais equipes do Brasil, principalmente nas de São Paulo que, juntas, perderam seis jogadores para o futebol do país. Times europeus também ficaram para trás na concorrência financeira e tiveram de abrir mão de grandes jogadores, sendo que os brasileiros, mais uma vez, foram destaques, mostrando que a China se tornou um dos destinos preferidos dos jogadores do país que buscam a independência financeira.

No total, a próxima temporada chinesa contará com 42 jogadores brasileiros, divididos em 24 clubes das duas principais divisões do país. Além disso, três técnicos estão entre os comandantes de equipes chinesas.

Gil zagueiro brasileiro acertou com o Shandong Luneng
Arquivo iG
Gil zagueiro brasileiro acertou com o Shandong Luneng

O Shandong Luneng foi uma equipe tímida no ataque ao Brasil durante a janela, contratando apenas um brasileiro, o zagueiro Gil, ex-Corinthians, porém é a que mais tem jogadores do país em seu elenco. Atualmente são cinco, sendo que ao lado do defensor estão Jucilei, Júnior Urso, Diego Tardelli e Aloísio. O quinteto trabalha sob a tutela de Mano Menezes, contratado junto ao Cruzeiro para substituir o também brasileiro Cuca.

Felipão conta com quatro brasileiros no Guangzhou Evergrande
Arquivo iG
Felipão conta com quatro brasileiros no Guangzhou Evergrande

Comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari, o Guanzhou Evergrande perdeu Robinho, que foi reserva da equipe durante o Mundial de Clubes, e agora defende o Atlético-MG e também o atacante Elkeson, que foi para o Shangai SIPG. Mesmo assim, a equipe mantém no seu plantel três brasileiros: Ricardo Goulart, campeão brasileiro de 2014 com o Cruzeiro, Paulinho, campeão mundial com o Corinthians, e Alan, revelado no Fluminense.

Na segunda divisão, o Tianjin Quanjian, patrocinado por uma grande industria farmacêutica, investiu pessado e contratou quatro brasileiros. Vanderlei Luxemburgo, um dos técnicos com mais títulos no futebol brasileiro, foi tocar o "projeto" da equipe que sonha em poucos anos conquistar o acesso a liga principal e depois a Liga dos Campeões da Ásia. Para o ousado desafio, o técnico buscou três reforços brasileiros: Luis Fabiano, ex-São Paulo, Geuvânio, ex-Santos, e Jadson, ex-Corinthians.

O campeão brasileiro de 2015 foi o time que mais sofreu com assédio das equipes chinesas. Dono de um dos maiores desmanches da história dos campeões dos pontos corridos , o time perdeu quatro titulares para o oriente. Além de Gil e Jadson, Renato Augusto e Ralf deixaram a equipe e foram para o Beijing Guoan. Elias, esteve perto de acertar sua transferência para o Hebei China Fortune, mas desistiu. Os chineses prometem vir forte para contratá-lo na janela do meio do ano.

Renato Augusto usará o uniforme verde do Beijing Guoan
Reprodução
Renato Augusto usará o uniforme verde do Beijing Guoan

No busca de reforços, o Brasil se tornou pequeno para o turbilhão chinês, que se voltou ao mercado europeu. Lavezzi, Gervinho, Jackson Martinez e Freddy Montero trocaram seus contratos na Europa pelo desafio e pelo dinheiro vindo da China.

FOTOS: Comemoração de cesta transforma loira em rainha do Miami Heat na NBA

Entre os brasileiros, Alex Teixeira recusou a chance de defender o Liverpool e assinou com o Jiangsu Suning, sendo a maior transferência da janela mundial, com o valor de 50 milhões de euros. Não satisfeito, o Jiangsu trouxe Ramires, do Chelsea, e Jô, que atuou por Corinthians e Atlético-MG, que se juntam a Sammir no clube.

No último segundos da janela de transferência, o Santos se livrou de mais uma baixa em direção à Ásia. Ricardo Oliveira aceitou a proposta de aproximadamente R$ 1,5 milhão por mês, mas na divergência na negociação do valor a ser pago pelo seu passe ao Santos, acabou impedindo que a burocracia fosse realizada antes do fechamento da janela .

Confira os brasileiros no futebol chinês:

- Chinese Super League (Primeira Divisão)

Guanzhou Evergrande: Alan, Paulinho, Ricardo Goulart e Felipão.

Jiangsu Suning: Alex Teixeira, Sammir, Jô e Ramires

Shangai Shenshua: Paulo Henrique

Shandong Luneng: Gil, Jucilei, Júnior Urso, Diego Tardelli, Aloísio e Mano Menezes

Shangai SIGP: Elkeson

Beijing Guoan: Ralf, Renato Augusto e Kléber

Shijiazhuang Ever Bright: Diego Maurício

Tianjin Teda: Wagner

Guanzhou R&F: Renatinho e Bruninho

Henan Construction: Ivo

Changchun Yatai: Marcelo Moreno

Chongqing Lifan: Fernandinho e Jael

Hangzhou Greentown: Anselmo Ramon

- China League One (Segunda divisão)

Tianjin Quanjian: Geuvânio, Jadson, Luis Fabiano e Vanderlei Luxemburgo

Nangchang Bayi: Biro-Biro e Everton

Wuhan Zall: Guto

Dalian Chaoyue: Jailson Paraíba

Nei Mongol Zhongyou: Dorielton

Shenzhen: Paulinho

Qingdao Huanghai: Yuri

Zhejiang Yiteng: Rodrigo Paulista

Meizhou Hakka: Japa

Xinjiang Tianshan Leopard: Vicente, Itaparica e Rudnei

Qingdao Jonoon: Jhonny

    Leia tudo sobre: Futebol