Tamanho do texto

Com tantos desfalques, o técnico promoveu as estreias de Henrique e Matheus Índio e gostou do que viu

Jorginho, técnico do Vasco
Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Jorginho, técnico do Vasco

O Vasco perdeu os 100% de aproveitamento na temporada na última quinta-feira, ao ficar no empate por 2 a 2 diante do Friburguense . Mesmo em pleno São Januário, a equipe esbarrou na boa marcação do adversário e deixou de vencer pela primeira vez em seis partidas do Campeonato Carioca. Ainda assim, o técnico Jorginho ficou satisfeito com a exibição de seus comandados.

"O Friburguense jogou bem fechado e dificultou nossa vida. Alterei o esquema durante a partida para abrir mais a equipe deles e fomos em busca do resultado positivo. Fizemos mudanças no intervalo para deixar nosso time mais ofensivo. Depois, colocamos o Thalles e tivemos uma boa resposta. Por um detalhe, não conseguimos a vitória", disse.

Confira como foi o empate entre Vasco e Friburguense

Além da boa atuação do adversário, Jorginho levou em consideração os desfalques do Vasco ao analisar a partida. Foram cinco ausências na última quinta-feira, incluindo alguns dos principais destaques do time neste início de ano, como Nenê.

"Nós estávamos sem Marcelo Mattos, Júlio César, Andrezinho, Nenê e Jorge Henrique, basicamente metade da equipe que vinha jogando. Como eu disse, nós vencemos um jogo sempre coletivamente. Estes que não atuaram são atletas que já estavam entrosados, com ritmo de jogo. Mas foi muito bom o resultado em termos técnicos e na questão tática. Os que entraram estão bem fisicamente, mas não como os outros", avaliou.

Com tantos desfalques, Jorginho promoveu as estreias de Henrique e Matheus Índio e gostou do que viu. "O Índio teve boa atuação, perseverou, jogou bem o primeiro tempo. Ele saiu porque queríamos abrir o time e mudar o esquema tático. O Henrique não teve oportunidades comigo ano passado e não comprometeu, foi bem na marcação e tentou ser efetivo no um contra um. Os dois foram muito bem na partida."