Tamanho do texto

Em dezembro, clube paulista já havia se interessado pelo atacante, mas se assustou com o pedido milionário

Uma cabeça no Chile, outra em Florianópolis. Assim estão os dirigentes do Corinthians, divididos entre a estreia do time na Libertadores e o futuro de Clayton, do Figueirense. Depois de saber que o Atlético-MG fez uma proposta oficial pelo atacante, o Timão entrou na parada.

Clayton foi uma das revelações do Brasileirão do ano passado
Luiz Henrique/Figueirense
Clayton foi uma das revelações do Brasileirão do ano passado

O contato corintiano foi feito com Jorge Machado, empresário de Clayton e dono de 30% dos direitos econômicos do jogador. A grande dificuldade do Timão é que outras três partes também têm participação em uma eventual venda: o Banco BMG possui 35%, um outro empresário conta com 20%, enquanto o Figueirense detém apenas 15%.

Leia mais notícias do  Corinthians

Essa não é a primeira tentativa do Corinthians em contratá-lo. Em dezembro, o presidente Roberto de Andrade fez uma consulta, mas se assustou com a pedida de R$ 27 milhões por 100% do atacante.

E mais:  Jogando no deserto, Corinthians se "prepara para o pior" na Libertadores

Machado se reunirá nesta noite com o Figueirense , na capital catarinense, para definir o futuro de Clayton, que tem 19 anos. A ideia de Corinthians e Atlético-MG  era definir a questão, no máximo, até a tarde desta terça-feira (16), a fim de inscrever o atacante ainda na fase de grupos da Libertadores.

Audiência alta/ A vitória do Corinthians sobre o São Paulo  rendeu 28 pontos de média à Globo e à Band. A audiência foi só um ponto menor do que o 6 a 1 alvinegro, em 2015 — na época, o jogo marcou a entrega da taça.

Sem bicho/ O Corinthians não prometeu qualquer centavo de prêmio aos jogadores por uma vitória contra o São Paulo. No ano passado, todos os clássicos tiveram alguma bonificação.

Pela comodidade/ A viagem do Corinthians até El Salvador será a mais cara do time na fase de grupos da Libertadores. O custo total, de acordo com o clube, passará dos R$ 500 mil, inflacionado pelo fretamento de um avião.

Sistema falho/ Os clubes brasileiros que disputam a Libertadores sofreram para registrar os jogadores, ontem. O problema: o sistema de inscrição da Conmebol operou com enorme lentidão durante toda a tarde.

Nova diretriz/ O Comitê de Gestão do Santos  vai criar uma regra, registrada em ata, impedindo que qualquer atleta contratado receba mais do que R$ 200 mil de salário. Hoje, Lucas Lima e Ricardo Oliveira ganham mais. 

Estratégia.../ Preocupado com a crise no mercado, o Tricolor tem fechado patrocínios na camisa por valores menores do que os pedidos em 2015. A TIM vai pagar R$ 2,1 milhões para ficar dentro do número, nas costas. Antes, o clube queria R$ 3 milhões.

...contra a crise/ Já as barras da camisa tricolor foram fechadas por R$ 3 milhões. Porém, o São Paulo só terá direito a R$ 2,6 milhões, já que R$ 400 mil foram pagos de comissão. A pedida em 2015 era superior a R$ 6 milhões.

Por um fio/ Marcelo Oliveira corre sério risco de ser demitido em caso de derrota do Palmeiras  nesta noite. Pelo menos é o que garantem membros do COF (Conselho de Orientação Fiscal). A pressão em cima do presidente Paulo Nobre é grande.

Reviravolta/ Um dos vice-presidentes do Verdão, Jesse Ribeiro tem convicção de que o técnico voltará do Uruguai fortalecido. “A arrancada do Palmeiras vai começar nesse jogo. Tenho sentido o grupo motivado para a Libertadores”, avalia.

Compatriotas/ Rival de hoje, o River Plate-URU terá só quatro titulares do amistoso que terminou com 4 a 0 para o Verdão, em janeiro. Um deles é o zagueiro gaúcho Ricardo Conceição. O outro brasileiro do elenco é o atacante Pedroso, que não jogou.