Tamanho do texto

Neymar Santos isentou atleta de culpa e ainda deu dicas de onde o craque pode atuar se não renovar com o clube catalão

Neymar Jr. e seu pai foram depor na Corte Nacional da Espanha nesta terça-feira
Denis Doyle/Getty Images
Neymar Jr. e seu pai foram depor na Corte Nacional da Espanha nesta terça-feira

O pai e empresário de Neymar Jr., Neymar Santos, teria afirmado aos juízes da Audiência Nacional nesta terça-feira (02) que seu filho tem "uma proposta milionária, de 190 milhões de euros" para deixar o Barcelona, informou hoje (03) a "Catalunya Radio".

Leia também:  Ministério Público denuncia Neymar e diz que pai foi principal articulador de fraudes

Porém, de acordo com as fontes ouvidas pela emissora, o único objetivo do atacante é permanecer e renovar com o clube. De acordo com notícias divulgadas pela imprensa internacional, Paris Saint-Germain, Real Madrid e Manchester United poderiam ser os responsáveis pelos valores astronômicos.

Leia mais:  Em meio a polêmicas, Neymar ganha boneco de cera em museu de Orlando

Pai e filho prestaram depoimento ontem para a Justiça por serem suspeitos de fraudar as negociações que levaram o atacante para o clube catalão. Segundo fontes ligadas ao processo, o jogador se negou a responder as perguntas dos advogados do grupo DIS - que impetraram a ação - e só falou com os advogados do Barcelona.

Já Neymar pai isentou o filho de qualquer conhecimento sobre as transações financeiras que o envolveram e confirmou que ele e o Santos tinham recebido propostas mais vantajosas financeiramente do que a do time catalão. Porém, o filho sempre quis defender as cores do Barcelona.

Os dois brasileiros, mais o ex-presidente do clube Sandro Rosell e o atual mandatário, Josep Maria Bartomeu, são investigados por fraude e corrupção na negociação do atacante. Em 2013, ao anunciar que Neymar iria para a Catalunha, o clube informou que a transferência custou 17,1 milhões de euros. Mais tarde, documentos revelaram que ela custou mais de 80 milhões de euros.

O DIS, que representava o atleta e tinha 40% dos direitos na venda, abriu um processo na Espanha por considerar que foi lesado pelo pai e pelo jogador porque só recebeu o valor referente ao número divulgado oficialmente. O restante do dinheiro teria ido para a família de Neymar.