Tamanho do texto

Clube está proibido de fazer contratações pelas duas próximas janelas de trasnferência. Atlético de Madri também foi punido

Presidente do Real Madrid, Florentino Perez vai recorrer de punição imposta pela Fifa
Getty Images
Presidente do Real Madrid, Florentino Perez vai recorrer de punição imposta pela Fifa


O Real Madrid afirmou, nesta quinta-feira, que recorrerá em todas as instâncias esportivas contra a decisão da Fifa de proibir o clube de fazer contratações nas próximas duas janelas de transferências , por considerar a sanção como "absolutamente improcedente".

A decisão foi imposta pela Comissão Disciplinar da Fifa, que decidiu punir o clube com a "proibição de contratar em dois períodos de transferências completos e consecutivos e uma multa de 360 mil francos suíços (R$ 1,44 milhão) por transferências internacionais de menores de 18 anos".

Segundo a Fifa, o Real Madrid "violou várias resoluções relativas às contratações e o primeiro registro de jogadores menores de idade estrangeiros, assim como outras concernentes à inscrição e participação de jogadores em determinadas competições".

No comunicado em que responde à punição, o Real Madrid explicou que é "absolutamente incerto" o fato de o clube ter escalado jogadores estrangeiros menores de 18 anos sem estarem devidamente inscritos na Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF).

"Todos os jogadores que jogam ou jogaram nas equipes de base de nosso clube estão e estiveram inscritos antes de entrarem em campo na RFEF, segundo certificou a própria entidade à Fifa, no documento de 17 de abril de 2015, como consta do expediente", indicou.

Quanto às contratações de estrangeiros menores de 18 anos, o clube garante que sempre cumpriu a legislação da Fifa.

"Sobre os jogadores maiores de 12 anos e menores de 18, sempre cumprimos os requisitos do regulamento da Fifa, pedindo à RFEF que tramitasse, assim como o fez, a correspondente autorização da Comissão do Estatuto do Jogador da Fifa", diz o comunicado.

Além disso, o Real Madrid diz que sempre notificou a federação sobre os jogadores inscritos em suas categorias de base, "como prova o fato de todos possuírem a correspondente licença federativa".