Tamanho do texto

Ex-secretário geral da entidade é investigado por suposto envolvimento em esquema na venda de ingressos da Copa

Valcke está suspensa de qualquer atividade que se relacione com o futebol
Reprodução/Twitter
Valcke está suspensa de qualquer atividade que se relacione com o futebol




O presidente da câmara de investigação do Comitê de Ética da Fifa, Cornel Borbély, concluiu sua parte na investigação sobre o envolvimento do ex-secretário geral da entidade, Jérôme Valcke, em esquema que o fez lucrar com a venda de ingressos para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Borbely sugeriu que a atual suspensão de Valcke, que durou 90 dias e se encerrava nesta terça, seja estendida em 45 dias e que depois disso ele seja 

O relatório de Borbély foi entregue juntamente com recomendações para a câmara decisória do Comitê de Ética, presidida por Hans-Joachim Eckert. Caberá a ele a decisão final sobre o destino de Valcke na entidade e no futebol mundial.

Em seu relatório final, o presidente da câmara de investigação do Comitê de Ética recomendou a imposição de um afastamento de nove anos da entidade e uma multa de 100 mil francos suíços (cerca de R$ 397 mil) a Valcke pela violação das regras gerais de conduta da entidade como lealdade, confidencialidade, dever de informação, cooperação, comunicação, conflitos de interesse, oferta e aceitação de presentes e outros benefícios e negação à obrigação geral de colaborar.

Na investigações, Valcke é investigados por acordos em que ele embolsaria 50% dos lucros com a venda de ingressos da Copa e com isso teria embolsado 2 milhões de euros (quase R$ 9 milhões).