Tamanho do texto

Clube ainda busca reforços de "nível Guerrero", mas, por ora, tem de se contentar com chegada do técnico Muricy Ramalho

Muricy é apresentado no Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo
Muricy é apresentado no Flamengo


O Flamengo se reapresenta nesta semana com poucas caras novas em relação ao elenco que deixou a desejar no ano passado. Chegam o goleiro Alex Muralha, o lateral Rodinei, os zagueiros Juan e Antônio Carlos e o meio-campista Willian Arão. Outros estão próximos, como o lateral-esquerdo Chiquinho. O time até agitou o mercado da bola , mas as tão esperadas “contratações do nível de Guerrero”, como disse o vice de finanças, Claudio Pracownik, não vieram.

A maior novidade, no final das contas, para ter um ano melhor, está no banco de reservas: Muricy Ramalho. Com ele, a torcida espera ver em campo seu famoso llema: "Isso aqui é trabalho".

Leia também
Sheik detona e acusa falta de comprometimento no Flamengo

“Muricy cobra muito mesmo. Se ele vir ‘migué’, vai afastar. O cara vai ficar fora mesmo. É um cara que eu gosto muito de trabalhar. Muito sério e de muito comprometimento. Só treino forte mesmo” disse Emerson Sheik, ao programa "Globo Esporte", sobre o treinador com quem trabalhou no Fluminense.

Marcelo, Almir, Ayrton e Armero não tiveram o contrato renovado. Samir foi vendido para a Udinese. Léo, Luiz Antonio e Paulinho foram emprestados para Atlético-PR, Sport e Santos, respectivamente. E Márcio Araújo ainda não acertou sua permanência no clube.