Tamanho do texto

Meia santista tem três ofertas de clubes asiáticos, mas reluta em sair, pensando na Europa e na seleção. Já o corintiano diz que "quando um clube chinês vem, você nem olha, você vai"

Estar na seleção é um dos fatores que faz Elias negar oferta 'irrecusável'
Mowa Press
Estar na seleção é um dos fatores que faz Elias negar oferta 'irrecusável'


Se as especulações pela atuação de clubes europeus no mercado da bola  brasileiro ainda são bem tímidas, o futebol chinês desponta como uma grande ameaça para desfalcar os times nacionais, mas ao mesmo tempo encher os cofres de muita gente. Os próximos alvos dos times de lá foram titulares da seleção brasileira nos últimos jogos pelas Eliminatórias: os meio-campistas Elias, do Corinthians, e Lucas Lima, do Santos. O corintiano parece mais balançado. 

Ambos os jogadores estiveram em campo neste domingo em jogos benificentes e falaram a respeito do assédio. Lucas Lima já admitiu que tem propostas bem polpudas de três clubes chineses e que, por enquanto, não são o suficiente para lhe tirar da Baixada.

Leia também
Acompanhe as novidades do mercado da bola no Brasil

"É aquele caminhão de dinheiro como todo mundo sabe, mas ainda não é do meu interesse. É analisar com meu pai e ver o que é melhor para mim", afirmou. "Tenho contrato, estou bem tranquilo quanto a isso. Sempre deixei claro que tenho o sonho de jogar na Europa, mas só se for uma coisa muito boa para mim e para o Santos."

Lucas Lima dá a entender que só sai se for para a Europa
Ricardo Saibun/Divulgação Santos
Lucas Lima dá a entender que só sai se for para a Europa


Já Elias tem sondagem por parte do Hebei China Fortune, mas diz que uma proposta ainda não lhe foi estendida. O jornal "Lance", porém, publica que o clube já ofereceu 7 milhões de euros ao Corinthians. A quantia, de cerca de R$ 30 milhões, teria sido recusada. 

Da parte do volante, que já defendeu Atlético de Madrid e Sporting no exterior, dependendo dos valores, pode ter negócio. "Pelo que vimos no mercado, quando um clube chinês vem, você nem olha a proposta, você vai. Mas estou pensando só nas férias. Amanhã ou depois vamos ver o que tem de real", disse. "Uma proposta dessa é difícil ter duas vezes. Se tiver essa proposta mesmo, vou sentar, conversar, ver os prós e contras." 

O mercado do gigante asiático já levou neste final de ano três nomes importantes do país: o meia Jadson, ex-Corinthians, e o atacante Luís Fabiano, ex-São Paulo, que foram para o Tianjin Quanjian, para trabalhar com Vanderlei Luxemburgo. No banco de reservas, Mano Menezes foi convencido a deixar o Cruzeiro após um bom Brasileirão para substituir Cuca no Shandong Luneng. 

Um fator que vai pesar na escolha de Lucas e Elias é o fato de terem sido convocados para jogos importantes pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. "Você não pode ter tudo, independência financeira e ao mesmo tempo estar na seleção. É difícil. Mas sei o que posso ganhar e o que posso perder aceitando uma proposta dessa", disse o jogador do Corinthians.

Dois casos recentes de jogadores de seleção que aceitaram ofertas do futebol foram o atacante Diego Tardelli, ex-Atlético-MG e hoje no Shandong Luneng, e o meia-atacante Ricardo Goulart, ex-Cruzeiro e hoje no Guangzhou Evergrande, de Luiz Felipe Scolari. Eles foram rapidamente esquecidos por Dunga.