Tamanho do texto

Com as possíveis voltas de Neymar e Messi, Barcelona entra em campo contra o River em busca do terceiro título mundial

Messi e Neymar podem se juntar a Suarez em final do Mundial de Clubes
Getty Images
Messi e Neymar podem se juntar a Suarez em final do Mundial de Clubes

O Barcelona e o River Plate disputarão o título do Mundial de Clubes de 2015 neste domingo no Estádio Internacional de Yokohama, num duelo entre a técnica da equipe catalã, bicampeã do torneio, e a garra dos 'Millonarios', que prometem colocar o coração na ponta da chuteira para conquistarem um troféu inédito.

O Barça quer ser o primeiro time a vencer o Mundial três vezes, após os triunfos de 2009 e 2011. Antes disso, em 2006, foi derrotado pelo Internacional na decisão. A outra equipe bicampeã é o Corinthians (2000 e 2013).

Leia mais: Neymar e Messi treinam e devem reforçar Barcelona na final do Mundial

A favor dos comandados de Luis Enrique está não apenas a história, mas também o futebol impecável demonstrado em 2015, com quatro títulos obtidos. Liderado pelo ataque formado por Neymar, Lionel Messi e Luis Suárez, o Barcelona venceu o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei, a Liga dos Campeões e a Supercopa da Europa.

Porém, dois dos três integrantes desse incrível trio de ataque são dúvidas para a partida deste domingo. Neymar não treinava desde o último dia 8, quando sofreu uma lesão muscular na coxa esquerda, e Messi foi diagnosticado com cálculo renal ao longo da semana.

Os dois ficaram fora das semifinais, em que o time catalão bateu o Guanghzou Evergrande por 3 a 0, mas participaram do treino deste sábado e têm chance de estar em campo em Yokohama.

Mercado da Bola: Confira as novidades do mercado de transferências

Com ou sem eles, Luis Enrique rejeitou o rótulo de favorito e alertou seus jogadores a respeito das zebras que o futebol costuma proporcionar.

"Sempre nos apontam como favoritos a cada partida, é um rótulo que já conhecemos. Já vimos que esse favoritismo nem sempre leva a algo bom, e no futebol as surpresas estão na ordem do dia", disse o treinador em entrevista coletiva concedida no Estádio Internacional de Yokohama, palco da decisão.

"As duas equipes chegam como favoritas a esta final. Nós não vamos mudar nosso estilo e vamos jogar o que sabemos. O adversário tentará evitá-lo da maneira que considerar oportuna e como puder, seja através da bola, de estratégias ou de sua intensidade física", acrescentou.

Ciente de que a missão não é nada fácil, o River se espelha em São Paulo, Internacional e Corinthians, únicos não europeus a serem campeões mundiais, e tenta aproveitar ao máximo o apoio dos cerca de 18 mil torcedores 'millonarios' que estão no Japão.

"Teremos de fazer um jogo quase perfeito para termos chances, para podermos resistir ao enorme potencial que o Barcelona tem em nível individual e coletivo. Eles têm grandes jogadores, e nós, um grande coração", declarou o técnico da equipe argentina, Marcelo Gallardo, que tem todos os titulares à disposição.

Leia também:  "Neymar deve ser melhor remunerado", diz presidente do Barcelona

À emoção de disputar a final do Mundial, soma-se a da despedida de dois jogadores importantes para que o River vencesse a Copa Sul-Americana do ano passado e a Taça Libertadores deste ano. Os volantes Carlos Sánchez e Matías Kranevitter estão de saída para Monterrey e Atlético de Madrid, respectivamente.

Prováveis escalações:

River Plate: Barovero; Mercado, Maidana, Balanta e Vangioni; Sánchez, Kranevitter, Ponzio e Pisculichi; Mora e Alario. Técnico: Marcelo Gallardo.

Barcelona: Bravo; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Jordi Alba; Busquets, Rakitic e Iniesta; Neymar (Munir), Messi e Luis Suárez. Técnico: Luis Enrique.

Árbitro: Alireza Faghani (IRA), auxiliado pelos compatriotas Reza Sokhandan e Mohammadreza Mansouri.

Estádio Internacional de Yokohama

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.