Tamanho do texto

Ex-corintiano Paulinho desequilibra e comanda vitória com muito drama do Guangzhou Evergrande pelo Mundial da Fifa. Time chinês agora vai encarar o Barcelona pela semifinal. E aí?

Paulinho comemora o gol heróico pelo Guangzhou pelo Mundial
Getty Images
Paulinho comemora o gol heróico pelo Guangzhou pelo Mundial


O primeiro jogo teve drama. Foi tão sofrido como um jogo de mata-mata pode ser, e Luiz Felipe Scolari saiu vitorioso, o que condiz com o currículo pré-goleada de 7 a 1 para a Alemanha do treinador.

Agora, o prêmio para o técnico brasileiro e seu Guangzhou Evergrande é... enfrentar o .arcelona pela semifinal do Mundial de Clubes da Fifa, no Japão. O confronto está marcado para quinta-feira (às 8h30 no horário de Brasília).

Neste domingo, o Guangzhou, campeão asiático, bateu o América do México, campeão da Concacaf, por 2 a 1, com direito a gol do volante Paulinho, ex-Corinthians, no terceiro minuto de acréscimo do segundo tempo. Que venha o Barça, então? "Temos de continuar sonhando grande para a próxima partida contra o Barcelona. Vencer não é impossível", afirmou.

Leia também
Fuso horário é o maior inimigo para o Barcelona? Craques têm recomendações

Pelas quartas de final, o América saiu na frente, com gol do experiente centroavante da seleção mexicana Oribe Peralta, aos dez do segundo tempo. Zheng Long empatou a 10 minutos do fim. E aí veio a cabeçada certeira de Paulinho no último minuto de jogo, nos acréscimos. 

O volante, que venceu o Mundial em 2012 pelo Timão, acabou eleito o melhor da partida, tendo participação decisiva também no primeiro gol da equipe chinesa. Ele desequilibrou .  "Todos fizeram parte dessa vitória, mas fico muito contente por receber esse prêmio. Voi incrível e especial conseguir a virada e vencer da maneira que vencemos", disse. 

Agora Paulinho vai ter de se testar diante de um meio-campo muito mais qualificado como o do Barça, depois de fazer boa partida contra o Chelsea há três anos. De qualquer forma, é uma oportunidade única para qualquer jogador, algo que o América realmente esperava fazer.  "Estamos muito decepcionados, mesmo. Frustrados por termos deixado a vitória escorregar de nossas mãos e não poder enfrentar o Barcelona", disse o técnico Ignacio Ambriz. "Poderíamos ter vencido, mas perdemos a concentração. Avisei aos jogadores sobre isso nos treinamentos e reuniões, e acabou acontecendo. Estávamos com tudo sob controle, fizemos o gol, mas os erros nos custaram."

Já Felipão preferiu falar que o "futebol é um jogo de 90 minutos". Para tentar inverter o panorama da partida e chegar ao triunfo, porém, o treinador afirmou que precisou fazer substituições "arriscadas". Para tanto, sacou um jogador experiente (e de salário milionário) como Robinho de campo e também o artilheiro Elkeson. Ricardo Goulart jogou os 90 minutos. "Dessa vez funcionou, em outra noite poderia ter falhado. Mas conheço minha equipe e sei o que eles podem fazer. O América é um clube gigante, com uma história fantástica, mas reagimos e vencmeos", disse.

A outra semifinal do Mundial também está definida: o River Plate, campeão da Libertadores, vai encarar o anfitrião Sanfrecce Hiroshima, que conseguiu também neste sábado sua segunda vitória pelo torneio. Os campeões da J-League venceram o Auckland City, da Nova Zelândia, na estreia e, pelas quartas, demoliram o TP Mazembe: 3 a 0.  River e Sanfrecce jogarão na quarta-feira.