Tamanho do texto

Grupo de 15 jogadores que disputam as Eliminatórias pela Venezuela anunciou que não vai mais aceitar as convocações caso não caiam direção e comissão técnica. Se a moda pega...

A Venezuela foi derrotada pelo Brasil pela segunda rodada
EFE/Marcelo Sayão
A Venezuela foi derrotada pelo Brasil pela segunda rodada


Um grupo de 15 jogadores da seleção venezuelana de futebol anunciou nesta segunda-feira que não vai mais atender a convocações para participar de jogos pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 até que a direção da Federação Venezuelana de Futebol (FVF) e a comissão técnica sejam substituídas.

O comunicado divulgado via redes sociais dos jogadores que o assinam rejeita as declarações do presidente da FVF, Laureano González, publicadas no jornal "Líder", nas quais assegurou que os jogadores conspiraram para que o técnico Noel Sanvicente fosse demitido.

Veja a tabela
Brasil está em terceiro nas Eliminatórias, em disputa equilibrada

"Ali (dentro do grupo da seleção) se configurou um movimento para tirar o técnico, que é o treinador mais vitorioso do futebol nacional", declarou González na quinta-feira passada. "Ditas declarações são totalmente falsas e violadoras de nossa honra e reputação", rebateram os atletas. 

A carta está assinada por Tomás Rincón, Oswaldo Vizcarrondo, Salomón Rondón, Roberto Rosales, César González, Luis Manuel Seijas, Franklin Lucena, Grenddy Perozo, Josef Martínez, Juan Falcon, Nicolás Fedor, Gabriel Cichero, Ronald Vargas, Alejandro Guerra e Christian Santos.

Noel Sanvicente, técnico na mira do elenco
EFE
Noel Sanvicente, técnico na mira do elenco


Estes jogadores se unem ao zagueiro Fernando Amorebieta que na terça-feira passada anunciou sua retirada também em carta pública, sob os mesmos argumentos. Na carta, o grupo expressa sua decisão de não continuar em um "ambiente já prejudicado por nossos dirigentes". "Assim mesmo manifestamos uma grande decepção e desilusão pela falta de apoio do corpo técnico de nossa seleção nacional perante ditas acusações", acrescentaram os jogadores.

O grupo assinalou que, "enquanto a Federação Venezuelana de Futebol for comandada pelos atuais diretores, o sonho de participar de uma Copa do Mundo se vê comprometido"

Os jogadores da seleção venezuelana concluem a carta dizendo que "o prejuízo feito só pode ser reparado por meio da renovação da diretoria da FVF".

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.