Tamanho do texto

Crise política começou após um caça russo ter sido abatido. Os turcos que já estejam na Rússia continuam sob contrato, assim como empresas envolvidas com estádios para Copa do Mundo

Gokdeniz Karadeniz (d), do FC Rubin Kazan, é um dos turcos em atividade na liga russa
Getty Images
Gokdeniz Karadeniz (d), do FC Rubin Kazan, é um dos turcos em atividade na liga russa


As tensões políticas entre Rússia e Turquia chegaram ao esporte. O ministro dos Esportes russo Vitaly Mutko anunciou que os clubes do país estão simplesmente proibidos de contratarem jogadores turcos. O veto vale para o futebol ou para qualquer outra modalidade. 

O mercado europeu de transferências será aberto em janeiro, na chamada "janela de inverno". "Diria que se qualquer clube tivesse o desejo de contratar um turco, essa possibilidade não existe mais", disse Mutko, de 56 anos, que também é o presidente da federação russa de futebol. "Os clubes já receberam essa mensagem, aliás."

Leia também
Quer saber quem faz mais gols que o "Trio MSN"? O handebol do Barcelona

Os jogadores turcos que já têm contrato na Rússia, como o meio-campist Gokdeniz Karadeniz, do Rubin Kazan, não serão afetados. "Eles podem seguir trabalhando. No futuro, não teremos jogadores deles aqui, todavia", afirmou Mutko. O mesmo vale para empresas turcas que estejam envolvidas na construção de estádios para a Copa do Mundo de 2018. 

As relações entre os países se estremeceu na semana passada quando um caça russo foi derrubado na fronteira da Síria. As versões para o incidente diferem, de acordo com o ponto de vista. Entenda o caso

Além do veto a contratações, os clubes russos também receberam a recomendação de abortar os planos de fazer uma intertemporada na Turquia, durante o inverno, quando sua "Premier League" é interrompida devido às temperaturas baixíssimas. Depois da rodada deste meio de semana, o campeonato só será retomado no final de fevereiro. Lokomotiv Moscow, Spartak Moscow, Krasnodar e Kuban Krasnodar tinham viagem planejada. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas