Tamanho do texto

Doyen, empresa que detém direitos de jogadores brasileiros como Damião, tinha esquema ilegal com time holandês

Aldo van der Laan renunciou ao cargo no Twente depois de vazamento de documentos
Reprodução/Site Oficial do Twente
Aldo van der Laan renunciou ao cargo no Twente depois de vazamento de documentos

O portal Football Leaks, que vem divulgando polêmicos detalhes sobre contratações e outros negócios envolvendo clubes de Portugal, provocou a renúncia de Aldo van der Laan, presidente do Twente, da Holanda, ao divulgar documentos que revelam relações controversas com um fundo de investimentos.

O site, hospedado na Rússia, mas escrito em português, exibiu documentação sobre uma transação entre o Twente e a Doyen Sports. As partes assinaram um acordo em 2014 pelo qual o fundo, com sede em Malta, injetaria 5 milhões de euros em troca da aquisição de uma porcentagem em futuras transferências de sete jogadores do clube holandês.

Agora, os documentos mostram que a Doyen teria voz na hora de decidir sobre as transferências destes jogadores, prática proibida pela federação holandesa de futebol (KNVB). A Doyen tem tentáculos em vários países. No Brasil, foi parceira do Santos na contratação de Leandro Damião, emprestado ao Cruzeiro. 

O Twente, que está sob investigação da federação, anunciou que Van der Laan decidiu renunciar devido às "dúvidas" criadas em torno do caso.

"Os documentos divulgados, alguns verdadeiros, outros manipulados para aumentar a curiosidade da imprensa e do público, procedem de um ataque virtual", disse em comunicado a Doyen.

A denúncia do fundo de investimentos foi desmentida em outra nota pelo Football Leaks, site comandado pelo português Nélio Lucas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas