Tamanho do texto

Presidente da Fifa falou à emissora suíça "RTS" sobre o colapso nervoso que o levou a ser hospitalizado no início do mês

Joseph Blatter
AP
Joseph Blatter

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, revelou que esteve a ponto de morrer quando foi hospitalizado no dia 11 de novembro devido a um colapso nervoso.

Em entrevista à emissora suíça "RTS" que será exibida na próxima quarta-feira, mas que teve trechos antecipados nesta segunda-feira pelo jornal britânico "The Guardian", Blatter falou sobre o estresse dos últimos meses e disse que esteve "entre anjos e o diabo".

"Estive muito perto (da morte). Estive entre anjos que cantavam e o diabo com o fogo. Mas os anjos cantaram mais alto", afirmou o presidente licenciado da Fifa.

"A pressão foi enorme. Se você é forte mentalmente, consegue resistir, mas em algum momento o corpo diz 'não' e meu corpo reagiu mal", explicou Blatter, que está atualmente suspenso por 90 dias pela Fifa por envolvimento em um caso de corrupção.

Antes da internação, os médicos tinham pedido a Blatter que se licenciasse devido ao grande estresse. Além disso, nos trechos da entrevista antecipados pelo "The Guardian", Blatter disse que o presidente da Uefa, Michel Platini, que também está suspenso, é "um homem honrado".

Leia também:
Para ir à igreja, Marin deixa prisão particular em Nova York pela primeira vez

O Comitê de Ética da Fifa considera impor sanções de vários anos a ambos por um "pagamento desleal" de 1,3 milhões de libras (1,8 milhões de euros) que Blatter fez a Platini em 2011, semanas antes da reeleição do suíço ao comando da Fifa.

A candidatura de Platini para as eleições da entidade máxima do futebol do próximo ano está suspensa enquanto o caso é investigado, mas Blatter afirmou acreditar que o ex-jogador francês ainda pode sucedê-lo no posto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.