Tamanho do texto

Ex-presidente da CBF faz caminhada de cerca de dez minutos para ouvir uma missa em espanhol. Ele estava confinado em luxuoso apartamento em Manhattan desde 3 de novembro

Marin deixa seu apartamento em NY ao lado da mulher Neuza. Caminhada de 10 minutos
Reprodução/SporTV
Marin deixa seu apartamento em NY ao lado da mulher Neuza. Caminhada de 10 minutos

Após mais de cinco meses de cárcere, o ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), José Maria Marin, foi às ruas pela primeira vez neste domingo, ao deixar sua prisão domicilar em Nova York para ir à igreja de Saint Peter's e assistir a uma missa.

A caminhada entre sua residência e a igreja leva aproximadamente dez minutos. Marin ouviu uma cerimônia em espanhol, acompanhado da mulher Neuza.

O dirigente estava confinado desde o dia 3 de novembro  às dependências de seu luxoso apartamento na metrópole americana, quando foi extraditado da Suíça para os Estados Unidos. Em Zurique, ele foi preso no dia 27 de maio.

Leia também
Marin tem Cristiano Ronaldo e rede de lojas como vizinhos em NY
Cartola se declara inocente, e Justiça dos EUA pede fiança milionária

A Saint Peter's Church fica na área chamada de "Midtown", em Manhattan, nas cercanias da famosa Trump Tower, que é uma atração turística à parte, onde o brasileiro possui um imóvel com área de 100 metros quadrados.

Marin deixa a Trump Tower em Midtown
Reprodução/SporTV
Marin deixa a Trump Tower em Midtown

Marin havia sido aconselhado por seus advogados a passar pelo menos duas semanas sem tentar deixar o apartamento. O acordo previa liberação, desde com autorização prévia do FBI, a polícia federal americana, para situações específicas, como problemas de saúde, ida à igreja e compras. Ele usa uma tornozeleira eletrônica.

Para poder ficar em seu apartamento enquanto é processado pela Justiça local, o cartola concordou em pagar US$ 15 milhões (aproxidamente R$ 55 milhões) para assegurar que não deixaria a cidade ou o país.

Marin foi preso depois de uma investigação do FBI tê-lo identificado como suposto participante em um esquema de corrupção de corrupção em negociações de direitos de eventos esportivos. Ele deverá comparecer a uma próxima audiência no dia 17 de dezembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas