Tamanho do texto

Havia a possibilidade de que a partida contra a Inglaterra fosse cancelada, mas a Federação Francesa preferiu manter o duelo

Didier Deschamps e Hugo Lloris, capitão francês, em entrevista coletiva antes de amistoso
Etienne Lohan/EFE
Didier Deschamps e Hugo Lloris, capitão francês, em entrevista coletiva antes de amistoso

Os 23 integrantes da seleção francesa chegaram nesta segunda-feira a Londres em meio a fortes medidas de segurança um dia antes do amistoso contra a Inglaterra, que acontecerá às 17h45 (de Brasília) desta terça no estádio de Wembley.

Liderados pelo técnico Didier Deschamps, os 'Bleus' pousaram na capital britânica ao meio-dia (local, 10h de Brasília). Havia a possibilidade de que a partida fosse cancelada devido aos atentados ocorridos em Paris na última sexta-feira, mas a Federação Francesa de Futebol (FFF) preferiu manter o duelo.

Em coletiva de imprensa, Deschamps falou da dificuldade de ter de lidar com o momento difícil vivido pelo país, mas ressaltou a importância da partida desta terça-feira, quatro dias depois de o Stade de France, onde a seleção local recebeu a Alemanha, ter sido alvo de ataques terroristas.

"Vivemos um momento em que qualquer palavra insuficiente para tratar dessa barbárie. Prefiro não me estender no assunto. A partida desta terça-feira é mais que um jogo de futebol. Entramos em campo para mostrar o orgulho que temos de sermos franceses", disse Deschamps, campeão do mundo em 1998. 

Na delegação, estão o volante Lassana Diarra, que perdeu a prima Asta Diakité nos ataques, e o atacante Antoine Griezmann, cuja irmã saiu ilesa da casa de shows Bataclan. Na chegada ao hotel, os dois e toda a delegação pararam para tirar fotos e dar autógrafos aos vários torcedores que os esperavam.

Antes da partida de amanhã, será respeitado um minuto de silêncio em memória dos 132 mortos no pior ataque terrorista ocorrido na Europa desde o efetuado em Madri em março de 2004.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas