Tamanho do texto

Técnico da seleção espanhola creditou mau momento do jogador devido a fase dos blues, atuais campeões ingleses

Diego Costa ao lado de Vicente Del Bosque
David Ramos/Getty Images
Diego Costa ao lado de Vicente Del Bosque

O técnico da Espanha, Vicente del Bosque, afirmou nesta quinta-feira que o atacante do Chelsea, Diego Costa, não está na seleção por um "pacto com o passado", mas sim porque acredita no jogador, apesar da atual má fase.

Perguntado em entrevista coletiva sobre o atual momento do jogador brasileiro naturalizado espanhol, Del Bosque disse que, quando o momento de um time não está bom, caso dos 'Blues' na temporada, todos os jogadores sentem o impacto, assim como Costa.

O treinador também falou que conhece a personalidade do atacante, conhecido pela fama de "brigão" em campo, e tenta suavizá-la, embora isso não represente um motivo para deixá-lo de fora da lista para o amistoso contra a Inglaterra amanhã.

"Ele está aqui por temos o firme critério de que possa ser útil", disse Del Bosque, negando que a convocação de Costa tenha sido motivada por alguma imposição ou dívida com atleta.

Sobre Iker Casillas e David de Gea, os dois goleiros da seleção da Espanha, o técnico indicou que se ambos estiverem jogando e mantenham seu atual nível, a situação é boa para a seleção.

"Temos sorte de poder contar com os dois nesse momento", acrescentou Del Bosque.

O técnico também falou sobre a lesão do zagueiro Sergio Ramos, que pode ter que passar por cirurgia após ter agravado um problema no ombro esquerdo.

"Não temos outra opção a esperar que ele se recupere. O importante é que ele chegue em boas condições em junho", disse Del Bosque, em relação à disputa da Eurocopa.

Sobre os três atacantes da equipe espanhola, Costa, Morata e Alcácer, afirmou que, apesar de terem treinado pouco nos últimos três dias, todos chegaram bem à seleção.

Quanto à Inglaterra, afirmou que o adversário será uma grande equipe caso tenha um pouco mais de organização.

"Será assim porque tem um potencial individual muito forte, como demonstraram com as dez vitórias que conseguiram na fase de classificação", indicou.

Por fim, sobre seu futuro na seleção após a Eurocopa do próximo ano na França, indicou que precisará conversar com o presidente da Federação Espanha de Futebol, mas que nesse futuro só pensa na disputa da principal competição europeia.

"Tempo haverá para pensar no futuro", indicou o técnico espanhol.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas