Tamanho do texto

"Não sou a pessoa mais modesta do mundo, mas em certos aspectos, no entanto, sou muito humilde", disse o craque

Cristiano Ronaldo, craque do Real Madrid
EFE
Cristiano Ronaldo, craque do Real Madrid

O atacante Cristiano Ronaldo afirmou, em entrevista que irá às bancas em Portugal neste sábado, que deverá jogar futebol por mais quatro ou cinco anos apenas, para depois viver "como um rei".

A declaração é uma das que fazem parte da próxima edição da revista "Caras", em que o jogador admite que a intenção é deixar o esporte de lado em breve, para poder desfrutar de todo o dinheiro que acumulou como atleta, com a família e os amigos.

CR7 disse entender as vaias que recebe dentro de campo, principalmente por causa da maneira extravagante de se portar dentro dos gramados.

"Não sou a pessoa mais modesta do mundo, admito isso. Não sou falso. Em certos aspectos, no entanto, sou muito humilde", afirmou o craque do Real Madrid.

Cristiano admitiu que leva uma vida muito regrada fora das quatro linhas, embora tenha confessado que gosta de beber um copo de vinho "de vez em quando", além de comer hambúrgueres e tomar refrigerante aos domingos.

Ao falar sobre o filho, de 5 anos, o craque se derrete e admite que a paternidade mudou a vida. Apesar dos milhões e milhões na conta bancária, o atacante revelou que não garante muitas mordomias ao filho.

CR7 contou que Cristiano Júnior pediu um smartphone de última geração para que os dois pudessem conversar, mas que negou porque o garoto poderia telefonar usando o aparelho da avó.

Já sobre o pai, que morreu em 2005, o atacante reconheceu ter dito que é não era o que gostaria de ter, mas que esteve a ponto de procurá-lo na Ilha da Madeira, terra natal do atacante.

"Eu o amava, claro, mas nunca tive uma conversa com ele, como estou tendo com você agora", encerrou o português.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.