Tamanho do texto

Preso em seu apartamento em Nova York, ex-presidente da CBF recebeu milhões para presidir comitê organizador

José Maria Marin está preso em seu apartamento em Nova York
Getty Images
José Maria Marin está preso em seu apartamento em Nova York

José Maria Marin, ex-presidente da CBF preso por envolvimento nos escândalos de corrupção da Fifa, recebeu R$ 6,2 milhões para presidir o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL), entre 2013 e 2014. A informação foi publicada nesta quarta-feira pelo jornal "Folha de S. Paulo".

Em 2013, Marin afirmou ter recebido R$ 1,6 milhão pelos seus trabalhos no COL. A reportagem revela, porém, que Marin embolsou R$ 985 mil em participação de lucros e resultados. No ano seguinte, o mandatário embolsou mais R$ 3,6 milhões, um total de R$ 307 mil mensais. 

Apesar de sua participação nos lucros da entidade, o contrato social do COL indicava que "os resultados apurados em 2013 devem ser alocados em conta de reserva, não havendo dividendos a distribuir”, o que configura que Marin não deveria ter recebido o que recebeu.

Marin está detido desde maio. Ele é alvo das investigações do FBI e da justiça suíça e ficou cinco meses em uma uma prisão de Zurique. Neste mês ele aceitou ser extraditado para os Estados Unidos e cumpre prisão domiciliar em seu apartamento na Trump Tower, em Nova York.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.