Tamanho do texto

Eugênio Figueredo foi um dos detidos na operação do FBI e da polícia suíça no dia 27 de maio, contra esquema de corrupção

EFE

Eugenio Figueredo será extraditado
CONMEBOL/REPRODUÇÃO
Eugenio Figueredo será extraditado

Eugenio Figueredo, ex-presidente da Conmebol e ex-vice-presidente da Fifa, aceitou a extradição para o Uruguai, conforme divulgou nesta quarta-feira o Ministério de Justiça e Polícia da Suíça.

O dirigente, que também dirigiu a federação uruguaia, foi detido em Zurique no dia 27 de maio deste ano, durante operação deflagrada para combater esquema de corrupção em entidades que administram o futebol.

O governo suíço já havia aprovado anteriormente a reivindicação da extradição feita pelos Estados Unidos, mas Figueredo apelou desta decisão, que segue correndo no no Tribunal Federal no Penal do país europeu.

Com o sim do ex-presidente da Conmebol para voltar ao Uruguai, as autoridades americanas terão que dizer se aceitam dar prioridade ao país sul-americanos. De acordo com o porta-voz do Ministério da Justiça suíço, Folco Galli, esta resposta deverá ser dada até o dia 19 de novembro.

A partir daí, caberá aos representantes da pasta do país europeu definir o destino do dirigente.

O Uruguai apresentou reivindicação da extradição no mês passado. No país natal, o ex-mandatário da Conmebol é investigado por enriquecimento ilícito, aceitação de subornos, no caso das vendas dos direitos de comercialização de competições.

A advogada de Figueredo garantiu que o cliente está disposto a colaborar com a justiça uruguaia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.