Tamanho do texto

Romário, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, diz que a documentação obtida justifica a concessão de tempo

Romário e Randolfe Rodrigues insistiram na prorrogação dos trabalhos
Marcos Oliveira/Agência Senado
Romário e Randolfe Rodrigues insistiram na prorrogação dos trabalhos

A CPI do Futebol ganhou seis meses de prazo para investigar a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Por meio de requerimento do presidente, senador Romário (PSB-RJ), os trabalhos da comissão foram prorrogados até junho de 2016. A decisão foi anunciada em Plenário nesta quarta-feira (11) pelo presidente do Senado, Renan Calheiros.

No início da tarde desta quarta, Romário e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) haviam defendido a prorrogação da CPI, argumentando que a documentação obtida de órgãos nacionais e internacionais já justifica a concessão de mais tempo de trabalho para aprofundar as investigações.

"Encontramos o fio da meada do esquema criminoso que, lamentavelmente, dirige o futebol brasileiro. Diante disso, temos que puxar o restante do novelo", afirmou Randolfe.


    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas