Tamanho do texto

Gianni Infantino, secretário geral da Uefa, gostaria de ver o principal torneio de seleções do mundo com mais países.

Gianni Infantino, secretário-geral da UEFA
EFE/Jean-Christophe Bott
Gianni Infantino, secretário-geral da UEFA

Você acha que a Copa do Mundo com 32 seleções já está inchada, com times que não teriam nível para disputá-la? Pois, pra Gianni Infantino, secretário geral da Uefa e candidato à presidência da Fifa, é pouco.

Em entrevista à agência "Associated Press", o cartola afirmou que um de seus projetos é aumentar para 40 o número de equipes na competição. "Se você é sério ao falar sobre o desenvolvimento do futebol, precisa envolve mais confederações no principal evento de futebol do mundo, que é a Copa", defendeu o dirigente.

"Quero expandir a Copa do Mundo com base na experiência que tivemos na Europa com a Eurocopa. Vejam nossas eliminatórias de agora. Algumas equipes que nunca se classificaram conseguiram e algumas equipes que sempre se classificaram não foram", disse.

Vender a ideia de expansão da Copa seria uma cartada política importante de Infantino, de olho no voto de confederações menores, que tenham aspiração de jogar o torneio. Especialmente os países periféricos do cenário europeu, justamente sua área de maior atuação. Ao lado de Michel Platini, presidente da Uefa, ele promoveu um recente inchaço na Eurocopa e nas competições de clubes do continente, ganhando apoio político imediato desses países menos tradicionais.

O número de participantes na Copa subiu de 24 para 32 em 1998, edição realizada na França, ano também em que Joseph S. Blatter chegaria ao domando da Fifa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.