Tamanho do texto

Campeão do mundo com a seleção brasileira, Scolari completa 67 anos nesta segunda e já antecipou título como presente

Felipão completa 67 anos
Vipcomm
Felipão completa 67 anos

Luiz Felipe Scolari completa 67 anos nesta segunda-feira. Considerado um zagueiro mediano nos tempos de jogador de Caxias e Juventude, Felipão se tornou um técnico de sucesso no futebol brasileiro, onde conquistou diversos títulos e resultados expressivos.

Pela seleção brasileira, venceu a Copa de 2002 de forma invicta, mas acabou marcado pela derrota por 7 a 1 para a Alemanha na semifinais do Mundial de 2014.

Leia: Felipão se encontra com Dunga e diz que o 7 a 1 não mudou o futebol brasileiro

Apesar da lembrança recente do fracasso no Mineirão, Felipão tem muito mais para mostrar na sua vitoriosa carreira. No seu aniversário, o iG relembra sete motivos que comprovam que Felipão é um dos maiores técnicos da história do Brasil.

1) É o rei da Copa do Brasil:

Felipão foi campeão da Copa do Brasil de 1991 com o Criciúma
DIVULGAÇÃO/CRICIÚMA
Felipão foi campeão da Copa do Brasil de 1991 com o Criciúma

Quando o assunto é o segundo maior torneio de clubes do país, Felipão é um recordista. 

Na história da Copa do Brasil, o técnico é o único a comandar uma equipe campeã em mais de uma oportunidade, sendo tetracampeão do torneio.

Leia também: Felipão paga 3 milhões de euros de multa por fraude fiscal em Portugal

Na primeira vez em que treinou uma time na competição, o gaúcho levou o modesto Criciúma ao título de 1991 ao superar o Grêmio na decisão. Em 1994, o técnico "devolveu" ao Grêmio o título ao bater o Ceará na decisão.

Venceria a Copa do Brasil mais duas vezes com o Palmeiras: Em 1998, ao derrotar o Cruzeiro, e 2012, após vencer o Coritiba.

O técnico ostenta ainda a marca de campeão invicto em três das quatro vezes que conquistou o torneio. Em 1998, uma derrota para o Botafogo e outra para o Cruzeiro evitaram que o torneio terminasse sem derrotas do Palmeiras de Felipão.

2) Amado pelos portugueses:
Se no Brasil a imagem de ídolo de Felipão ficou arranhada depois da Copa de 2014, em Portugal, mesmo sem nenhuma conquista, o treinador brasileiro é idolatrado.

Felipão foi vice-campeão da Eurocopa de 2004 e chegou as semifinais da Copa de 2006 pela seleção portuguesa
Shaun Botterill/Getty Images
Felipão foi vice-campeão da Eurocopa de 2004 e chegou as semifinais da Copa de 2006 pela seleção portuguesa

Após conquistar a Copa do Mundo em 2002, Felipão aceitou o convite para comandar a seleção portuguesa e conseguiu resultados históricos. Na Eurocopa de 2004, disputada em Portugal, o gaúcho levou a anfitriã ao vice-campeonato, perdendo para a surpreendente Grécia. Na Copa do Mundo da Alemanha, atingiu o quarto lugar, sendo eliminada na semifinal pela França de Zidane e na disputa do terceiro lugar para a anfitriã Alemanha. Foi a primeira vez desde a geração de Eusébio em 1966 que os lusos chegaram tão longe no Mundial. Apesar dos bons resultados nos primeiros anos, Felipão deixou o cargo após a derrota na Eurocopa de 2008.

3) Tem a amizade de Cristiano Ronaldo:
Felipão cultivou amigos no futebol. Além de técnicos como Levir Culpi e Walmir Loruz, alguns jogadores já declararam que tem no treinador mais do que apenas um "chefe". Um destes nomes é Cristiano Ronaldo, eleito duas vezes melhor jogador do mundo.

Cristiano Ronaldo e Felipão são amigos desde os tempos em que o brasileiro treinava a seleção portuguesa
Alex Livesey/Getty Images
Cristiano Ronaldo e Felipão são amigos desde os tempos em que o brasileiro treinava a seleção portuguesa

Cristiano já declarou em diversas oportunidades seu carinho pelo técnico que lhe deu sua primeira oportunidade na seleção portuguesa, inclusive na época em que defendia o Manchester United e viu Scolari ser demitido do rival Chelsea.

Leia: Técnico surpreende e deixa Cristiano Ronaldo fora da convocação de Portugal

"Fico triste porque ele é um grande amigo. Era um adversário, mas principalmente um amigo. É um grande homem, e um grande treinador", afirmou o jogador.

A amizade dos dois é tão grande que foi o próprio Felipão que comunicou ao jogador sobre o falecimento de seu pai, antes de um jogo contra a Rússia, em 2005.

"Tivemos muita cumplicidade naquele momento (em que Felipão contou sobre a morte do pai de Cristiano). Ele chorou por muito tempo e isso estreitou nosso relacionamento. Mesmo com a notícia, ele fez questão de jogar e disse: 'Meu pai gostava que eu jogasse, fez tudo na vida para que eu jogasse", revelou o técnico.

4) Foi um técnico "So-So" no Chelsea:
A vida do técnico nos clubes pelos quais passou, no geral, foi vitoriosa. A exceção fica por conta da sua experiência na Premier League. Contratado em 2008 para ser o técnico do Chelsea, "Big Phill" , que na sua apresentação se definiu como um técnico "so so" ("mais ou menos"), não teve sucesso e sofreu com o boicote das estrelas da equipe. Apesar de um aproveitamento de 66%, Felipão acabou demitido por Roman Abramovich, dono do clube britânico, após um empate por 0 a 0 com o Hull City.

Felipão teve sua oportunidade no Chelsea, mas não conseguiu trabalhar bem no clube inglês
Clive Rose/Getty Images
Felipão teve sua oportunidade no Chelsea, mas não conseguiu trabalhar bem no clube inglês

Anos mais tarde, Felipão revelou que o motivo que começou a derrubar sua vida na equipe inglesa foi o fato de ter vetado o atacante marfinense Didier Drogba de tratar uma lesão fora do clube. Outro fator que teria colaborado com sua queda foi a contratação de Deco, seu homem de confiança, que causou ciúmes no alemão Michael Ballack.

Apesar do insucesso, Felipão, que passou sete meses no comando dos Blues, conta com o carinho e admiração de Frank Lampard, grande ídolo da equipe.

5) Possui o recorde de vítórias seguidas em Copas do Mundo:

Felipão tem o recorde de vitórias consecutivas em Copas do Mundo com 11 triunfos entre 2002 e 2006
Phil Cole/Getty Images
Felipão tem o recorde de vitórias consecutivas em Copas do Mundo com 11 triunfos entre 2002 e 2006

Felipão venceu apenas a Copa de 2002, mas conseguiu marcar seu nome na história do torneio de outra maneira. Comandando o Brasil em 2002 e Portugal em 2006, o treinador conseguiu o recorde de vitórias consecutivas em Mundiais, sete na campanha do pentacampeonato e mais quatro com os lusos, somando 11. A série se encerrou nas quartas de final da Copa da Alemanha, quando a sua seleção empatou sem gols com a Inglaterra.

O treinador também é o recordista de partidas sem derrotas em copas do mundo. Somando os jogos em que comandou o Brasil em 2014, Felipão participou de 17 vitórias em mundiais. Soma ainda três empates e quatro derrotas, sendo duas em semifinais e duas em disputa de terceiro lugar.

6) Passagens vitoriosas por Grêmio e Palmeiras:

Luiz Felipe Scolari com o troféu de campeão da Copa Libertadores da América 1999, após passar pelo Deportivo Cáli nos pênaltis
Gazeta Press
Luiz Felipe Scolari com o troféu de campeão da Copa Libertadores da América 1999, após passar pelo Deportivo Cáli nos pênaltis

Apesar do sucesso na seleção brasileira, foi em clubes em que Felipão conseguiu os seus melhores resultados, principalmente quando comandou as equipes do Grêmio e do Palmeiras.

Foi pelo Grêmio que Felipão começou a ganhar expressão como treinador, vencendo o Campeonato Gaúcho de 1987 em sua primeira passagem. Retornou em 1993 para se tornar ídolo ao vencer Campeonato Gaúcho, Copa do Brasil, Brasileiro, Libertadores e Recopa Sul-Americana.

Pelo Palmeiras, Scolari marcou seu nome na história ao comandar a equipe nas conquistas da Copa do Brasil de 1998, na Libertadores e na Mercosul de 1999 e no Rio-SP de 2000. Felipão voltaria ao Palmeiras para conquistar a Copa do Brasil de 2012. Na campanha do título, a equipe de Felipão eliminou justamente o Grêmio na semifinal da competição.

Na última passagem pelos dois clubes o treinador acabou demitido após sequências de resultados ruins, mas não diminuiu a idolatria dos torcedores por Felipão.

7) Campeão também nos "mercados alternativos":

Felipão como treinador do Guangzhou Evergrande
Getty Images
Felipão como treinador do Guangzhou Evergrande

Conhecido no Brasil pelos seus trabalhos por Grêmio, Palmeiras, Criciúma e Cruzeiro, Felipão conquistou também os mercados mais obscuros do mundo.

O técnico dirigiu sem sucesso equipes na Arábia Saudita e Japão, mas conseguiu bons resultados no futebol do Kuwait, conquistando a Copa do Kuwait de 1989 pelo Qadsia. O trabalho pelo clube o credenciou para uma experiência na seleção local.

Após sua demissão do Chelsea, Felipão recebeu o convite para treinar o Bunyodkor, do Uzbequistão. Na sua única temporada no clube venceu o campeonato Uzbeque de 2009 de forma invicta em um elenco que contava com o também pentacampeão Rivaldo.

Demitido do Grêmio e já marcado pelo fracasso da Copa de 2014, Felipão foi contratado pelo Guangzhou Evergrande, e novamente teve sucesso vencendo o Campeonato Chinês de 2015 . Na sua equipe, Scolari comandou os brasileiros Paulinho, Elkeson, Robinho e Ricardo Goulart.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas