Tamanho do texto

Segundo informação da coluna "Radar Online", da revista "Veja", o presidente Carlos Miguel Aidar levou soco de seu vice de futebol. Relação dos cartolas está estremecida há tempos

Desencontros entre Aidar (d) e Guerreiro já são públicos
Rubens Chiri/São Paulo FC
Desencontros entre Aidar (d) e Guerreiro já são públicos


As desavenças entre o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, e seu vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro chegaram ao limite nesta segunda-feira. Segundo informação da coluna "Radar On-line", da revista "Veja", Guerreiro teria até mesmo dado um soco em Aidar. O clube não confirma a agressão, mas não desmente que os dois tenham mais uma vez se desentendido, agora em um lugar público. Nesta terça-feira, depois que o episódio veio à tona, o presidente afirmou que o vice está demitido.

Aidar afirma que faltou sintonia com o subordinado, que era o responsável pela coordenação do departamento de futebol do clube. Ataíde foi exonerado de seu cargo depois do entrevero de segunda-feira. Nesta terça, pediu demissão.

Leia também: Ceni confia em Milton Cruz como possível substituto de Osorio

Como acontece em toda segunda-feira, a diretoria do São Paulo se encontrou no hotel Radisson, na capital paulistana, para uma reunião. No entanto, desta vez, o clima esquentou entre Aidar e Guerreiro. Segundo informação da jornalista Vera Magalhães, da "Veja", o presidente e o vice de futebol discutiram e precisaram ser separados após trocarem agressões. Aidar teria caído no chão após levar um soco de Ataíde.

O motivo desse entrevero teria sido a escolha de um novo técnico, já contando com a ida de Juan Carlos Osorio para a seleção Mexicana. Julio Casares, vice-presidente do clube, e Douglas Schwartzmann, vice de comunicações e marketing, teriam testemunhado todo o ocorrido. Entretanto, o presidente nega que a briga tenha acontecido, embora reconheça que tenha ocorrido uma discussão mais exaltada, enquanto Schwartzmann afirma que não estava no encontro. Veja no vídeo abaixo, com informação do jornalista Paulo Vinícius Coelho, do "Fox Sports":

Veja mais vídeos da Fox Sports

Os integrantes da diretoria são-paulina já tinham desavenças por conta das frequentes interferências de Aidar nas decisões de Ataíde Gil Guerreiro. Quando assumiu, o presidente havia dito que Ataíde seria o homem forte do futebol, com total autonomia para fazer escolhas. No entanto, ao longo da gestão, as coisas foram mudando.

Por diversas vezes, os dois entraram em desacordo e o presidente passou a tomar decisões sem ao menos consultar o vice de futebol, como, por exemplo, quando ligou para Vanderlei Luxembugo, logo após a saída de Muricy Ramalho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.