Tamanho do texto

Pela primeira vez, um país terá cinco representantes na fase de grupos da principal competição do futebol europeu

Mustafi (deitado) e Ruben Vezo comemoram classificação do Valencia na Liga dos Campeões
EFE/GUILLAUME HORCAJUELO
Mustafi (deitado) e Ruben Vezo comemoram classificação do Valencia na Liga dos Campeões


O Valencia perdeu nesta terça-feira para o Monaco por 2 a 1, fora de casa, mas avançou à fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa, o que representa um recorde para o futebol espanhol no torneio, no dia em que Shakhtar Donetsk, Malmö, Dínamo de Zagreb e Maccabi Tal Aviv também se classificaram.

O time do atacante brasileiro naturalizado espanhol Rodrigo Moreno - titular na partida - e do volante Danilo - que entrou na etapa final -, saiu na frente do duelo logo aos 4 minutos do primeiro tempo, com Paco Alcácer, ampliando a vantagem no placar agregado, já que havia levado a melhor no estádio Mestalla por 3 a 1.

Ainda na primeira etapa, aos 17 minutos, o zagueiro italiano Andrea Raggi igualou o marcador. Aos 30 do segundo tempo, o lateral-esquerdo Elderson virou para os anfitriões, mas o 2 a 1 não foi suficiente para o time do lateral-direito Fabinho e o zagueiro Wallace - que não atuou. Os dois terão que se contentar com a disputa da Liga Europa.

Com o resultado, o Valencia voltará a disputar a fase de grupos da 'Champions' após três anos. O clube será o quinto espanhol, se juntando a Barcelona, Real Madrid, Atlético de Madrid e Sevilla. O feito do país é inédito desde a implantação de fase de grupos nos moldes atuais, na temporada 1993/1994, com algumas equipes pré-classificadas e outras provenientes de eliminatórias.

O Shakhtar Donetsk, por sua vez, passou sufoco, mas conseguiu se garantir na etapa nobre da competição, ao empatar em seus domínios com o Rapid Viena em 2 a 2, após ter levado a melhor sobre o rival na Áustria por 2 a 1.

O brasileiro Taison leva o Shakhtar ao ataque diante do Rapid Viena
Yevheniy Kravs/AP
O brasileiro Taison leva o Shakhtar ao ataque diante do Rapid Viena


Depois de marcar fora de casa, o meia Marlos colocou o time ucraniano na frente aos 10 minutos do primeiro tempo. Os meias Louis Schaub e reverteram o marcador em 12 minutos, no entanto. O atacante Olexandr Gladkiy deu números finais ao duelo aos 27 da etapa inicial.

Além do ex-jogador de Coritiba e São Paulo, foram titulares do Shakhtar o lateral-esquerdo Márcio Azevedo, o volante Fred e os meia-atacantes Taison e Alex Teixeira. Bernard e o brasileiro naturalizado croata Eduardo da Silva, entraram no fim da etapa complementar.

A grande decepção desta terça-feira foi o Celtic, que depois de vencer o Malmö por 3 a 2, na Escócia, foi derrotado na Suécia por 2 a 0, com gols do atacante Markus Rosenberg e do zagueiro Dedryck Boyata, contra.

Desta forma, pela segunda temporada consecutiva o time de Glasgow cai no playoff final da Liga dos Campeões. Em 2014/2015, o algoz havia sido o Maribor, da Eslovênia.

Outro que decepcionou foi o Basel, que não foi além de empate com o Maccabi Tel Aviv em 1 a 1, em Israel, sendo eliminado pelo número de gols marcados fora de casa, após empate em dois gols no primeiro duelo, realizado na Suíça, na semana passada.

O atacante Luca Zuffi colocou a equipe da Basiléia na frente aos 11 minutos do primeiro tempo, mas o também atacante Eran Zahavi igualou o marcador, 13 minutos.

O Dínamo de Zagreb, por sua vez, não teve dificuldades para passar pelo Skënderbeu por 4 a 1, na Croácia, confirmando a vantagem que tinha por ter levado a melhor sobre o rival, na Albânia, por 4 a 1, em jogo disputado na última quarta-feira.

O meia-atacante argelino El Arabi Hilal Soudani, duas vezes, o centroavante bósnio Armin Hodzic e o zagueiro francês Jérémy Taravel fizeram os gols do time anfitrião. O meia Esquerdinha, ex-Bragantino, fez o gol isolado do time visitante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.