Tamanho do texto

Derrota para o Vasco, pela Copa da Brasil, foi o estopim para o fim da trajetória do treinaor pelo clube rubro-negro

O Dia

Cristóvão Borges deixou o Flamengo nesta quinta-feira
Gilvan de Souza/Flamengo
Cristóvão Borges deixou o Flamengo nesta quinta-feira


Cristóvão Borges não suportou a pressão no cargo do Flamengo  e pediu demissão, na manhã desta quinta-feira. Parte da diretoria já defendia a troca de comando desde a noite de quarta, quando o Rubro-Negro foi derrotado pelo Vasco por 1 a 0, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil . Oswaldo de Oliveira é o preferido para ocupar o cargo. O acerto pode sair ainda nesta tarde. A diretoria tem pressa, já que o time enfrenta o São Paulo, domingo, pelo Campeonato Brasileiro, e, na quarta que vem, decide a vaga contra o rival de São Januário.

Confira a tabela de jogos da Copa do Brasil

Logo após o fim da partida, o novo vice de planejamento, Flávio Godinho, respaldado pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello, começou a trabalhar pela troca no comando. A princípio, a movimentação dividiu a diretoria, que já não anda tão unida, por causa do processo eleitoral. O vice de finanças e um dos homens mais fortes do futebol rubro-negro, Rodrigo Tostes, o diretor-executivo de futebol, Rodrigo Caetano, e o diretor-geral, Fred Luz, se colocaram contra. Os três chegaram a ameaçar deixar seus respectivos cargos, caso fosse tomada alguma decisão sem a concordância deles.

Uma reunião na manhã desta quinta-feira, no entanto, mudou esse panorama. Os dirigentes, inclusive os que eram contra a mudança, sentiram Cristóvão muito abatido. Ficou claro que o treinador não tinha mais condições emocionais de continuar no cargo.

Cristóvão estreou no comando rubro-negro no dia 31 de maio, na derrota para o Fluminensepor 3 a 2. O substituto de Vanderlei Luxemburgo acumula no cargo 18 jogos: oito vitórias, um empate e nove derrotas.

Em comunicado oficial, Cristóvão agradeceu o apoio de todos durante o tempo que comandou o rubro-negro.

“Agradeço à diretoria, que sempre me deu um apoio incondicional para que eu colocasse em prática o meu trabalho. Houve uma integração muito grande entre todos os departamentos, com profissionais de alto nível. Agradeço, em especial, aos jogadores, pelo empenho, dedicação e entrega durante todo esse tempo. E à torcida, pelo apoio que demonstrou, lotando os estádios e deixando o clube com uma das maiores médias de público do Brasileiro", disse.

Oswaldo na mira

O provável substituto de Borges é Oswaldo de Oliveira. Isso porque uma reunião entre os diretores flamenguistas teria colocado o treinador, que está sem clube, como favorito a assumir o time carioca na sequência da temporada.

Como Oswaldo não tem outro contrato vigente e o Flamengo quer um técnico o mais rápido possível, a expectativa é que a negociação avance. A única coisa que pode atrapalhar é a eleição presidencial da equipe carioca marcada para o final do ano, por isso, o vínculo com Oliveira, ou qualquer outro comandante, não passaria de seis meses.

Veja os técnicos que perderam o emprego em times da Série A neste ano:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.