Tamanho do texto

Senadores ouvirão Charles Blazer, ex-presidente da Concacaf e preso pelo FBI por estar envolvido em esquemas de corrupção

Em reunião realizada na manhã desta quinta-feira (20), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Futebol aprovou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, do dia 12 de março de 2013 em diante. A iniciativa foi do próprio presidente da comissão, senador Romário (PSB-RJ). Em entrevista coletiva concedida após a reunião, Romário defendeu que Del Nero renuncie a seu cargo.

Marco Polo Del Nero, presidente da CBF
CBF/Divulgação
Marco Polo Del Nero, presidente da CBF

"Deveria fazer igual ao Ricardo Teixeira e sumir. A cada dia surgem novas denúncias e nós vamos continuar investigando", garante.

Também foram quebrados os sigilos bancário e fiscal de Wagner Abrahão, empresário dos setores de turismo e eventos.

Ainda foi criado um grupo de trabalho, formado por três senadores, que irá aos Estados Unidos colher o depoimento de Charles Blazer. O ex-dirigente da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf) está preso naquele país, sendo considerado pelo FBI (a Polícia Federal dos EUA) um dos mentores dos esquemas de corrupção em torno da Federação Internacional de Futebol (Fifa).

A CPI também convidou para depor o presidente do Vasco, Eurico Miranda; a procuradora-geral dos EUA, Loretta Lynch, e o jornalista inglês Andrew Jennings. E, por iniciativa dos senadores Helio José (PSD-DF) e Wellington Fagundes (PR-MT), foi solicitada a órgãos de fiscalização e controle informação sobre todos os repasses feitos pelo Ministério do Esporte às Confederações esportivas entre os anos de 2005 e 2015.

Inteligência

Também por iniciativa de Romário, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) deverá indicar um funcionário que auxiliará os senadores em trabalhos técnicos e investigativos. Na busca de mais informações, foram solicitadas à Junta Comercial do Rio de Janeiro as cópias de todos os contratos da CBF ali registrados.

Também irão prestar depoimento à CPI, em data a ser marcada, os jornalistas Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Tony Chastinet e Leandro Cipoloni. Eles são os autores do livro O lado sujo do futebol. Por iniciativa de Paulo Bauer (PSDB-SC), ainda foram chamados a comparecer o deputado federal Sílvio Torres (PSDB-SP) e o ex-senador Geraldo Althoff. Ambos foram, respectivamente, os relatores de CPIs que investigaram a corrupção e a má gestão no futebol brasileiro, entre os anos de 2000 e 2002, na Câmara dos Deputados e no Senado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.