Tamanho do texto

Vincent Labrune contrariou o treinador e afirmou que 'não houve desacordo'. Novo técnico ainda não foi definido

O presidente do Olympique de Marselha, Vincent Labrune, respondeu nesta quinta-feira as críticas feitas pelo técnico argentino Marcelo Bielsa, que creditou sua saída do clube a supostas mudanças no acordo para renovação de contrato.

Marcelo Bielsa na beira do campo no jogo entre Olympique e Rennes, pelo Campeonato Francês
Claude Paris/AP
Marcelo Bielsa na beira do campo no jogo entre Olympique e Rennes, pelo Campeonato Francês

Segundo o dirigente, o próprio comandante da equipe havia acertado verbalmente a prorrogação do vínculo até junho de 2017, por isso, acredita que as informações dadas por 'El Loco' servem apenas como "pretexto" para sua saída.

"A partir do momento em que não havia nenhum desacordo financeiro, que a acionista havia feito esforços financeiros, acredito que a decisão dele estava tomada antes mesmo da reunião de quarta-feira. Tínhamos previsto assinar contrato no sábado", afirmou o dirigente, em entrevista coletiva.

Bielsa disse que na conversa com Labrune e o advogado da investidora do clube, Margarita Louis-Dreyfus, alguns tópicos que estavam estipulados anteriormente, não estavam sendo respeitados na confecção do acordo de renovação.

"O contrato não foi modificado. A acionista fez esforço muito grande para que as duas partes se aproximasse. Não houve desacordo", reiterou o presidente do Olympique.

Labrune ainda afirmou que apesar da fama de "imprevisível", Bielsa é uma pessoa "muito inteligente", que não tomaria uma decisão de maneira superficial.

O dirigente ainda evitou dar dicas sobre o sucessor do argentino, mas garantiu que se tratará de um profissional que se enquadre a filosofia do clube.

"Não buscamos um treinador que dê sequência do trabalho. Não buscamos um herdeiro, mas alguém de se adaptar aos nossos objetivos e ambições", garantiu Labrune.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.