Tamanho do texto

Paulo Wanchope comandava a seleção costarriquenha desde o ano passado, após boa campanha na Copa do Mundo do Brasil

O técnico Paulo Wanchope pediu demissão nesta quarta-feira da função de comandante da seleção da Costa Rica, depois de brigar durante partida no Panamá, na segunda mudança entre filiados da Concacaf após a Copa Ouro, por incidentes extra-campo.

Paulo Wanchope, ex-técnico da Costa Rica
EFE
Paulo Wanchope, ex-técnico da Costa Rica

O anúncio da saída do ex-atacante do cargo foi anunciado pela federação do país centro-americano, por meio de comunicado. Wanchope treinava os 'Ticos' desde o ano passado, depois da boa campanha na Copa do Mundo, com ida às quartas de final.

Ontem, durante jogo da zona Centro-Americana do Pré-Olímpico da Concacaf, em que os costarriquenhos duelavam com o Panamá, no estádio Maracanã, na Cidade do Panamá, o técnico assistia o confronto das arquibancadas e tentou invadir o gramado.

Ao tentar abrir uma grade, Wanchope foi interpelado por um segurança. Depois disso, os dois trocaram socos e empurrões, obrigando que outros funcionários do estádio os separassem, conforme mostra vídeo divulgado pela televisão panamenha.

Depois da forte pressão exercida pela imprensa costarriquenha, a federação do país anunciou que não se pronunciaria até conseguir informações suficientes sobre o caso, principalmente, até ouvir a versão do técnico.

Wanchope levou a Costa Rica à quartas de final da Copa Ouro, caindo diante do México, que acabaria se tornando campeão. A 'Tri', logo depois da conquista, demitiu o técnico Miguel Herrera por agredir um jornalista no aeroporto, antes do embarque de volta para o país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.