Tamanho do texto

Corinthians se concentra no Once Caldas desde as férias. Há exatos quatro anos outro colombiano aposentou Ronaldo

A partida contra o Tolima, em 2/2/2011, foi a última de Ronaldo como profissional
AP
A partida contra o Tolima, em 2/2/2011, foi a última de Ronaldo como profissional

A temporada de jogos oficiais do Corinthians  começou no domingo, com a estreia no Campeonato Paulista, mas é nesta quarta-feira que o clube está mais concentrado. Quatro anos depois de perder para o Tolima  e ser o único brasileiro eliminado na primeira fase da Libertadores, o Corinthians encara outro time colombiano, desta vez o Once Caldas, por um lugar no grupo 2 da competição internacional. 

Os jogos em São Paulo e em Manizales, este no dia 11, dominam o dia a dia do clube desde a reapresentação da equipe no último dia 7. É fresca a lembrança do que foi vivido em 2011. E para não reviver a experiência traumática, uma outra preparação foi feita para evitar novo vexame. Fábio Santos, Danilo e Ralf são os três jogadores do atual elenco estavam em Ibagué, cidade do Tolima. Alessandro, lateral-direito daquele time, hoje trabalha na comissão técnica corintiana. 

Leia também:  Gil cita eliminação para o Tolima, mas avisa que "agora, é outra história"

"A preparação é diferente do Tolima, de repente a gente não deu o valor exato para a competição, achou que as coisas seriam mais fáceis do que foram. Já é totalmente diferente agora, os cuidados nas férias, a preparação desde o começo batendo nessa tecla", disse Fábio Santos. 

E mais:  Corinthians na 1ª fase da Libertadores resgata fantasma do Tolima

O técnico no "Tolimaço" era Tite. E o alerta está aceso desde o final do Brasileirão. O treinador, apresentado no meio das férias, entrou em contato com os jogadores para pedir moderação no período de folga.

Vestiário do Corinthians, em Ibagué, antes da da eliminação para o Tolima na Libertadores de 2011. Fábio Santos ainda está no clube
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Vestiário do Corinthians, em Ibagué, antes da da eliminação para o Tolima na Libertadores de 2011. Fábio Santos ainda está no clube

"O Tite depois que foi efetivado também alertou todos para se apresentarem numa condição melhor e não curtir tanto as férias pela importância do jogo e por causa do período curto de preparação antes de um jogo tão importante como esse", comentou o lateral esquerdo, um daqueles que servem como porta-vozes do drama vivido há quatro anos. Dá para sentir esta atenção no discurso de quem nem estava lá. 

"Vão ser duas finais. Jogos que vão dizer o que podemos esperar do ano inteiro. Será muito triste se a gente não conseguir nosso objetivo e ir para o grupo, que vai ser muito difícil também. Mas vamos encarar como duas finais", disse Renato Augusto, que ouviu bem de Fábio Santos como os dias pós-Tolima foram difíceis. Os dois são companheiros de quarto na concentração corintiana. 

Fábio Santos entrou numa fria naquela ocasião, já que tinha acabado de chegar ao clube para, em tese, ser reserva de Roberto Carlos. O pentacampeão, contudo, foi cortado do jogo da volta e o lateral teve de jogar. Fábio ainda tem outra frustração na Colômbia. Em 2004, quando jogava no São Paulo, foi eliminado pelo Once Caldas nas semifinais do torneio.

"É sempre difícil jogar lá. No caso do Tolima, acho que a gente não sabia da importância e o que era estar fora da Libertadores logo de cara com seis meses com só um Campeonato Paulista para disputar. Não foi por falta de aviso da comissão técnica, mas muito por irresponsabilidade de todos nós jogadores. Pagamos um preço alto por tudo aquilo e só quem passou na pele sabe como foi ruim. E por isso que a gente vem alertando para acontecer de novo", conta. "O técnico é o mesmo daquela época, e o que a gente puder fazer para não repetir os erros vamos fazer e ajudar".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.