Tamanho do texto

Treinador que passou sem sucesso pelo Atlético-MG em 2014 já trabalhou no futebol japonês à frente do Kashima Antlers

Paulo Autuori, ex-técnico do Atlético-MG
Flickr/Atltético-MG
Paulo Autuori, ex-técnico do Atlético-MG

Após dirigir o Kashima Antlers, em 2006, o técnico Paulo Autuori está de volta ao Japão. Depois de uma passagem sem sucesso pelo Atlético-MG, o comandante de 58 anos terá a incumbência de levar o Cerezo Osaka novamente à elite nipônica. A representação asiática, curiosamente, já foi dirigida pelo atual treinador do Galo, Levir Culpi.

"Havia outras possibilidades, uma delas até em uma função diferente aqui no Brasil, mas preferi aceitar o convite do Cerezo Osaka. É muito bom ter o seu trabalho reconhecido por onde você já passou e ter a possibilidade de voltar. E a proposta que me fizeram tem muito a ver com aquilo que acredito e o que quero fazer no futebol, que é o trabalho de interação de jovens jogadores, além da ajuda na formação de novos treinadores", sintetizou Autuori.

Desde que retornou do Catar, onde dirigiou o Al-Rayyan e a seleção nacional, Autuori teve passagens rápidas por Vasco, São Paulo e Atlético-MG. Neste período em solo brasileiro, conquistou apenas a Copa Eusébio, em 2013, pelo Tricolor paulista, após superar o Benfica na final, pelo placar de 2 a 0.

Em seu currículo, o carioca possui um Campeonato Brasileiro (1995), pelo Botafogo, um título mineiro e da Libertadores, ambos em 1997, pelo Cruzeiro, além de duas conquistas simbólicas com o São Paulo: a Libertadores e o Mundial, de 2005. Fora do país, conquistou três troféus com o Alianza Lima-PER, além de duas Copas del Emir, no Catar (2010 e 2011).

Descenso - Mesmo com alto investimento, trazendo nomes como o uruguaio Diego Forlán e o atacante Cacau, brasileiro naturalizado alemão, o Cerezo Osaka terminou na penúltima posição da J-League , com 34 pontos, trilhando um retrospecto de sete vitórias, dez empates e 17 derrotas, à frente apenas do Tokushima Vortis (34).