Tamanho do texto

Com o Programa de Refinanciamento Fiscal, clube não corre risco de ter suas fontes de renda penhoradas

O presidente do Atlético-MG , Daniel Nepomuceno, conseguiu nesta sexta-feira renegociar as dívidas fiscais do clube, firmando acordo com o Programa de Refinanciamento Fiscal (Refis). Com isso, o Galo pode negociar atletas sem correr o risco de ter os valores penhorados como aconteceu com o dinheiro do meia-atacante Bernard.

Presidente do Atlético-MG diz que proposta da China por Diego Tardelli não é boa

O Atlético-MG já tinha conseguido a adesão ao Refis, mas o juiz federal da 26ª Vara Federal, André Gonçalves de Oliveira Salce, indeferiu o pedido alvinegro alegando que os cofres públicos ficariam no prejuízo de R$ 30 milhões. O acordo do Galo com o Refis foi concretizado nesta sexta-feira, último dia antes do recesso federal de fim de ano.

Atlético-MG e Cruzeiro acertam contrato de dois anos com novo patrocinador

O Galo divulgou nota oficial afirmando que agora o Atlético-MG está livre para seguir com a sua vida normal. Livre das penhoras, o clube pode, inclusive, tirar a certidão negativa de débitos, o que possibilita negociar contratos de patrocínio com a Caixa Econômica Federal.

Veja a integra do comunicado do clube:

"Como é de conhecimento público, o Atlético vem convivendo com bloqueios de suas receitas. Nesta data, o clube conseguiu no Tribunal Federal de Brasília, acolhimento integral de seus recursos, restabelecendo a validade do acordo do refinanciamento da dívida fiscal, conforme anteriormente aprovado pelas autoridades competentes do Governo Federal. A partir de então, o Atlético está livre dos bloqueios de suas receitas, retornando ao seu funcionamento normal, com as dificuldades inerentes do futebol brasileiro da atualidade".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.