Tamanho do texto

Presidente do clube admitiu em entrevista que Cintia Maturana ganha 20% do valor de negócios que conseguir trazer

A namorada do presidente do São Paulo  assinou contrato neste ano para receber participação sobre os negócios que levar para o clube. Colocado em discussão na última reunião do Conselho Deliberativo, na segunda-feira, o acordo foi confirmado por Carlos Miguel Aidar.

Juvenal Juvêncio diz que Aidar é traidor e dispara: "É um presidente ilegítimo"

Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo
Divulgação/Rede Record
Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo

"Ela tem um contrato de comissionamento de 20% sobre os negócios que ela trouxer para o São Paulo", admitiu, em entrevista publicada pela Folha de S.Paulo, nesta quarta-feira.

Segundo o dirigente, no entanto, Cinira Maturana (sua namorada há seis meses), ainda não firmou nenhum negócio. "Ela ainda não ganhou nada. Minha gestão é transparente", disse o mandatário, ao explicar que eles reataram o antigo relacionamento há pouco tempo.

Maturana não tem cargo no São Paulo, mas é vista com frequência na companhia de Aidar. Além de já ter assistido a um treino de um dos bancos de reserva do CT da Barra Funda - ocasião em que conversou com o goleiro Rogério Ceni -, ela vai a todos os jogos disputados pela equipe no Morumbi.

São Paulo desafia estigma de laterais vindos do futebol carioca nos últimos anos

Na última partida do ano no estádio, no empate com o Figueirense, a namorada do presidente recebeu e vestiu a polêmica camisa preparada pela Penalty em homenagem ao goleiro, assim como o próprio Aidar e os demais membros da diretoria.

No comando do clube desde abril, Aidar já havia sido questionado a respeito do envolvimento de sua filha, Mariana Aidar, a quem nomeou sua assessora. Os boatos sobre um suposto comissionamento em contratações de jogadores fizeram com que ela deixasse a função.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.