Tamanho do texto

Camisa 10 do Coxa ganhou homenagens por aposentadoria. Em casa, time paranaense vira e decreta queda dos baianos

Alex é homenageado pelo Coritiba antes do último jogo da carreira
Heuler Andrey/Getty Images
Alex é homenageado pelo Coritiba antes do último jogo da carreira

Na tarde deste domingo, o futebol deu adeus a um meia clássico, consagrado pela inteligência para realizar lançamentos e assistências, além de protagonizar cobranças de falta com ímpar maestria. A despedida de Alex, que levou milhares de torcedores ao Couto Pereira, teve contornos emocionantes e dramáticos. O Alviverde saiu perdendo por 2 a 0, com gols de Henrique e Rômulo, mas teve forças para arrancar a heroica virada do Bahia, que acabou rebaixado. O tento que decretou a vitória foi anotado por Keirrison, substituto do articulador, aos 49 minutos do segundo tempo.

Veja como ficou a classificação final do Campeonato Brasileiro

Logo após a igualdade, conquistada com gol de Dudu, quando o relógio apontou a marca dos 44, Alexsandro de Souza deixou as quatro linhas pela derradeira oportunidade, aos prantos, para a entrada do camisa 9 Keirrison. Visivelmente comovido, o curitibano ficou no banco de reservas e correspondeu à reverência da massa mandante, que deixou o Alto da Glória em clima de decisão. Como presente do centroavante, o astro viu seu substituto balançar a rede e aumentar a festa sulista.

Ídolo de Alex, Zico enaltece amigo antes do adeus: "Vai continuar contribuindo"

Estacionado nas 38 unidades, o Tricolor de Salvador acabou rebaixado, assim como o arquirrival Vitória. As representações nordestinas fazem companhia a Botafogo (19º) e Criciúma (20º) no rol de rebaixados para a Segunda Divisão.

Bahia rouba a cena na despedida e frustra o Couto Pereira

O cenário perfeito para a última partida de Alex como atleta profissional de futebol foi construído logo aos cinco minutos de jogo. Em disputa aérea, Joel disputou com Bruno Paulista e viu o volante tricolor ajeitar a pelota com o braço. Atento, o árbitro Marcelo de Lima Henrique assinalou a falta, nas proximidades da área. A chance da cobrança, que os torcedores conceberam como fácil para o ídolo, consagrado pelas bolas paradas, encheu o Couto Pereira de esperanças. Porém, o herói do dia finalizou mal, carimbando a barreira.

Veja fotos da última rodada do Campeonato Brasileiro:

Como um complemento da frustração inaugural, o pressionado Bahia surpreendeu inaugurou o marcador, com 13 jogados. Aproveitando ligação direta precisa de Marcelo Lomba, William Barbio dominou na ponta direita e acionou Rafael Galhardo na área. O lateral, improvisado no meio-campo, teve calma para erguer a cabeça e servir Henrique. Livre e com Vanderlei batido, o dianteiro não teve trabalho para balançar a rede e roubar a cena. Poucos segundos depois, em São Paulo, o Atlético-PR abriu a contagem no moderno Palestra Itália, com o jovem zagueiro Ricardo Silva. A combinação improvável de resultados tirava o Esquadrão de Aço da zona de rebaixamento.

Quando o relógio apontou a marca dos 22 no Alto da Glória, o Verdão empatou a partida, com Henrique cobrando pênalti. Porém, o Tricolor não se abateu e ampliou a contagem no Paraná, aos 26. Após bela triangulação, o jovem Rômulo recebeu em liberdade na área e chutou rasteiro, com frieza e categoria, na saída de Vanderlei.

Vendo sua comemoração desaguar em um desastre, Alex quase foi às redes com 28 jogados. O camisa 10 dominou na área, cortou a marcação e finalizou colocado, parando em milagre efetuado por Marcelo Lomba. Entretanto, o gol do Coxa surgiu na marca dos 34. Carlinhos cruzou da ponta esquerda e Guilherme Santos, sozinho e sem dianteiros alviverdes na proximidades, cedeu o escanteio infantil. Na cobrança rápida do córner, Zé Love não perdoou o erro e testou firme, no canto esquerdo da meta nordestina.

Alex deixa o campo com empate e vê substituto Keirrison decretar a vitória

Insatisfeito, o técnico Marquinhos Santos resolveu mexer na etapa complementar, sacando Germano, o único volante da formação mandante, e promovendo a entrada do centroavante Júlio César. Com o esquema extremamente ofensivo, o Coritiba apresentou inúmeras brechas no meio-campo, facilitando as chegadas do Bahia. Em uma delas, aos 15 minutos, William Barbio foi acionado pela intermediária e ficou cara a cara com Vanderlei. Na definição, porém, o dianteiro exagerou no preciosismo e mandou a bola à esquerda da trave.

Alex classifica virada do Coritiba nos acréscimos como prêmio por despedida

Para corrigir a ofensividade desenfreada, Marquinhos sacou o centroavante Zé Love, com 22 jogados, e promoveu a entrada do volante Sérgio Manoel. Com mais consistência no meio-campo, o Coxa tentou pressionar, mas não conseguiu o empate. Aos 35 minutos, Alex teve nova chance em cobrança de falta, mas carimbou a barreira e interrompeu o contragolpe nordestino, na sequência. A infração providencial lhe rendeu o cartão amarelo.

Como presente ao meia, o Coritiba conseguiu a igualdade, aos 40 minutos. Aproveitando sobra de bola na área, Dudu finalizou cruzado e contou com um desvio de Feijão para vencer Marcelo Lomba. Logo após o empate, o ídolo alviverde deixou as quatro linhas pela última oportunidade, aos prantos, para a entrada do camisa 9 Keirrison. Visivelmente comovido, o curitibano ficou no banco de reservas e viu seu substituto o presentear, com o gol da vitória, com 49 jogados.

FICHA TÉCNICA
CORITIBA 3 x 2 BAHIA

Local : Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba-PR
Data : 7 de dezembro de 2014, domingo
Horário : 17 horas (de Brasília)
Árbitro : Marcelo de Lima Henrique (Fifa-PE)
Assistentes : Rodrigo Henrique Correa-RJ e Luiz Cláudio Regazone (Asp. Fifa-RJ)
Cartões amarelos :
Luccas Claro, Alex e Zé Love (Coritiba)

GOLS
CORITIBA : Zé Love (aos 34' do 1T), Dudu (aos 40' do 2T) e Keirrison (aos 49' do 2T)
BAHIA : Henrique (aos 13' do 1T) e Rômulo (aos 26' do 1T)

CORITIBA : Vanderlei; Norberto, Luccas Claro, Leandro Almeida e Carlinhos; Germano (Júlio César), Robinho, Dudu e Alex (Keirrison); Joel e Zé Love (Sérgio Manoel)
Técnico : Marquinhos Santos

BAHIA : Marcelo Lomba; Roniery, Lucas Fonseca, Titi e Guilherme Santos; Rafael Miranda (Jacó), Bruno Paulista (Feijão), Rômulo e Rafael Galhardo; William Barbio e Henrique (Jeam)
Técnico : Charles Fabian