Tamanho do texto

Quando atuava no rival Corinthians, jogador quase precisou amputar a perna esquerda por infecção hospitalar

Jogador que mais atuou na temporada do centenário do Palmeiras (53 jogos), o volante Marcelo Oliveira acredita que possa servir de inspiração na luta contra o terceiro rebaixamento do clube no Campeonato Brasileiro. Quando ainda estava no Corinthians, ele enfrentou um drama ainda pior - quase teve a perna esquerda amputada.

Marcelo Oliveira tem contrato até o fim do ano
Miguel Schincariol/Getty Images
Marcelo Oliveira tem contrato até o fim do ano

Confira a tabela completa do Campeonato Brasileiro

"Agradeço a Deus pela minha saúde. Fiquei um ano e dez meses sem jogar por uma infecção hospitalar no joelho e corri sérios riscos até de amputar a perna. Mas Deus me curou e jogo até hoje por causa de um milagre na minha vida. Valorizo cada treino e até levantar da cama e andar", comentou, emocionado.

A história de Marcelo Oliveira já foi lembrada em vídeo exibido na preleção que antecedeu a derrota do Palmeiras para o Internacional. "Na minha hora, falaram do joelho. Isso nos motivou bastante, fez cada um lembrar o que passou. Ninguém chegou aqui de repente ou caiu de paraquedas no Palmeiras. Todos têm uma história e um trabalho que precisam ser valorizados. Na dificuldade, é bom lembrar tudo por que passamos para entrar mais forte e encarar a situação", discursou.

Embora ainda vivo na memória do volante palmeirense, o problema de saúde já ficou no passado. O jogador não tem qualquer limitação física que o impeça de ajudar a sua equipe. "Na época, vi muita gente que tinha passado pela mesma situação andando de botinha, com uma perna maior do que a outra. Mas sou grato a Deus porque posso jogar bola no resto da minha vida. Faço academia, fortalecimento, tudo normal, nada diferente dos outros jogadores. E sem nenhuma dor no joelho", comemorou.

As palavras de Marcelo Oliveira têm valor no Palmeiras, já que ele foi capitão do time diversas vezes ao longo do ano. De qualquer forma, o volante divide a missão de buscar uma vitória contra o Atlético-PR, em casa, no domingo, com todos os seus companheiros. O resultado garantiria a permanência do Verdão na Série A.

"A faixa de capitão me deixa muito feliz. Significa muita coisa dentro do grupo, mostra um pouco do meu valor, do respeito e de quem sou no dia a dia. Fiquei muito honrado e feliz com isso. Mas aqui todos são líderes. Só um carrega a faixa, mas todos podem falar e têm que se cobrar mesmo", declarou Marcelo Oliveira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.