Tamanho do texto

Volante completou 151 partidas na Lga Europa e igualou a marca do galês Ryan Giggs, ex-jogador do Manchester United

A partida entre Barcelona e APOEL, na última terça, pela quinta rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa, além de entrar para a história pelos três gols marcados por Messi, que fizeram o argentino ultrapassar a marca de Raúl, chegando aos 74 gols e assumindo o posto de maior artilheiro da competição em todos os tempos, também reservou outro feito marcante: o volante Xavi Hernández completou seu 151º jogo na Liga dos Campeões, igualando os números do galês Ryan Giggs, ex-jogador do Manchester United, que se aposentou no fim do ano passado.

Xavi Hernandéz, jogador do Barcelona, fez 151 jogos pelo Barcelona
Getty Images
Xavi Hernandéz, jogador do Barcelona, fez 151 jogos pelo Barcelona

Xavi e Giggs estão igualados como jogadores que mais atuaram na competição se considerarmos todas as edições do torneio, desde sua criação em 1955. Isso porque, se avaliarmos apenas a ‘fase recente’ da Liga dos Campeões, desde que adquiriu novo formato na temporada 1992/1993, inaugurando a fase de grupos, Xavi Hernández lidera de forma isolada o número de atuações, com 145 participações, seguido pelo goleiro Iker Casillas, com 144 jogos. Nesta perspectiva, Ryan Giggs aparece em terceiro lugar, somando 141 atuações.

A três dias de completar 41 anos, Giggs só defendeu as cores do Manchester United ao longo da carreira, atuando em Old Trafford de 1990 a 2014. Xavi, por sua vez, passou por todas as categorias da base do time blaugranaantes de integrar o elenco profissional, em 2008. Desde lá, jamais deixou o Camp Nou. A coincidência não para por aí. Assim como Giggs, que se tornou auxiliar técnico de Van Gaal no United, dando continuidade à vida no futebol, Xavi admite que sonha em seguir no Barça após deixar os gramados.

Ao falar sobre o recorde, o atleta - que entrou em campo no lugar de Rakitic durante a etapa final - não demonstrou insatisfação por estar figurando no banco de reservas ultimamente, e se disse orgulhoso pelo feito. "Eu jogo quando o técnico julga que é conveniente, fui a campo graças a ele e me sinto importante. A nível pessoal, admito que estou muito contente e orgulhoso de igualar os números de Giggs, venho jogando a muitos anos para buscar isso. Estou muito feliz de seguir atuando pelo Barcelona", falou ao jornal Ás.

Antes detentor solitário do recorde, Ryan Giggs fez questão de parabenizar Xavi ao saber do feito. "Para mim, Xavi é como um jogador de xadrez que está sempre dois, três passos adiante. É um dos melhores jogadores do mundo, e joga em uma das melhores equipes", admitiu ao Mundo Deportivo . "Sempre é decepcionante perder um recorde, mas compartilhá-lo com alguém do calibre de Xavi certamente suaviza a perda", prosseguiu.

Os dois já se enfrentaram, inclusive, em duas finais de Liga dos Campeões, em 2009 e 2011, e em ambas as oportunidades, o Barcelona conseguiu sair vitorioso e conquistar a vaga no Mundial de Clubes. Ao comentar sobre o estilo de jogo do espanhol, Giggs teve humildade para reconhecer suas qualidades. "O que mais me surpreendeu nas partidas que joguei contra ele foi o modo de tocar e proteger a bola, deixando o marcador sempre longe. Mas o que mais admiro, realmente, é sua inteligência em campo e a humildade com a qual se comporta", comentou finalizando a entrevista ao tabloide.

Aposentado da seleção espanhola após o vexame no Mundial do Brasil, quando a Roja - no chamado grupo da morte, ao lado de Holanda, Chile e Austrália - não conseguiu passar sequer da primeira fase, Xavi, atualmente com 34 anos, rechaça qualquer hipótese de aposentadoria pelo Barcelona e admite que quer seguir atuando ‘por muito tempo’ antes de investir na carreira de técnico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.