Tamanho do texto

Não foi apenas o cansaço que pesou para o Cruzeiro na final da Copa do Brasil. Para alguns jogadores, a superioridade atleticana na decisão da Copa do Brasil foi indiscutível

Os jogadores do Cruzeiro reclamaram bastante nas últimas semanas do desgaste pelo excesso de jogos, mas o lateral esquerdo Egídio admitiu que o cansaço não foi o fator decisivo para sua equipe perder o título da Copa do Brasil . O atleta admitiu que o Atlético-MG foi melhor nas duas partidas decisivas da final.

Leia tudo sobre a conquista do Atlético-MG na Copa do Brasil no iG Esporte

Atleticano Luan encara a marcação de Ceará na final da Copa do Brasil
Israel Edmundo/Fatopress/Gazeta Press
Atleticano Luan encara a marcação de Ceará na final da Copa do Brasil

"Ninguém pecou. Eles foram superiores nos dois jogos, querendo ou não", disse o lateral cruzeirense, que lamentou o revés, mas fez questão de valorizar o tetracampeonato Brasileiro conquistado pelo Cruzeiro no último domingo, com a vitória em cima do Goiás.

Veja ainda: Elenco forte ajuda rivais mineiros a ganhar títulos e driblar maratona de jogos

"O importante é a gente não abaixar a cabeça, porque o campeonato mais importante do Brasil é o Brasileiro, e nós somos tetra. É isso que vale. Isso (a derrota) não é motivo para ficar triste, temos é que comemorar porque somos tetra", declarou.

Assim como Egídio, o lateral direito Ceará também entende que o Galo levou vantagem, principalmente na questão física. "Força física talvez sim, mental não. Isso demonstra o quão nivelado está o futebol, e a parte física faz uma grande diferença. Podemos ressaltar que o Cruzeiro jogou cinco jogos com caráter de finais, porque nosso foco eram os dois campeonatos, sempre foi muito difícil. O Cruzeiro está de parabéns porque foi campeão brasileiro duas vezes seguidas. Infelizmente não conseguimos reverter o placar, essa é a realidade do futebol", comentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.