Tamanho do texto

Goleiro do São Paulo sentiu a eliminação para o Atlético Nacional, e técnico Muricy Ramalho o aconselhou

De todos os jogadores do São Paulo , o mais abatido com a queda para o Atlético Nacional na semifinal da Copa Sul-americana foi Rogério Ceni. O goleiro entrou no vestiário do Morumbi frustrado pela derrota nos pênaltis e ouviu de Muricy Ramalho o conselho para prolongar a carreira em vez de encerrá-la sem um título.

Rogério Ceni foi o único são-paulino a converter pênalti
Mauro Horita /Gazeta Press
Rogério Ceni foi o único são-paulino a converter pênalti

Leia também:  Rogério Ceni vê cola por notebook e é único são-paulino a converter pênalti

"Falei uma coisa especial que, se ele quiser contar para vocês, ele conta. Falei, porque ele sentiu demais, eu sei. Mas, ao mesmo tempo, eu sei como é esse tipo de gente, porque também sou assim. Vou atrás. Quando quero, sou muito determinado. Posso cair hoje, amanhã, mas vou atrás. Falei para ele, e aí é com ele", disse o treinador, sem contar exatamente o que foi falado, mas dando pistas de que, de fato, sugeriu a renovação do contrato.

"Maior injustiça que passei no futebol", diz Muricy, que parabeniza o time

"Caras como ele não gostam de sair por baixo. Às vezes, uma eliminação dessa pode mudar para o lado positivo, porque os caras querem sair ganhando. Por isso, acho que isso pode mudar bastante", reconheceu.

Aos 41 anos, Ceni havia dito em abril que desta vez não reconsideraria a decisão de se aposentar em dezembro. À medida que passou a ter grandes atuações, no entanto, a ideia passou a ser posta em dúvida. Atualmente, ele não confirma com todas as palavras se irá ou não parar de jogar. Para Muricy, o São Paulo ganharia muito se a permanência fosse sua escolha."Ele é o melhor jogador da história do São Paulo, além de ser o melhor líder, de querer ganhar. Querer o melhor, às vezes, incomoda. Sei que cara que nem, que nem eu, incomoda. Às vezes, os caras querem nos tirar, porque a gente incomoda, aperta mesmo, porque quer o melhor. Se começar (a próxima temporada) com ele, a gente começa bem, mas aí é com ele. Ele e o clube é que têm que definir. Já conversei e dei minha opinião, agora é com ele", falou.

Na sexta-feira, a Penalty lançará oficialmente no CT da Barra Funda a camisa especial que preparou para o goleiro-artilheiro. Camisa que gerou polêmica em função do convite divulgado na semana passada, no qual a fornecedora de material esportivo dizia que ele anunciaria "o término de sua carreira" e apresentaria "ao público sua última camisa pelo São Paulo". Diante de reclamação do próprio jogador, a empresa pediu desculpas e teve o evento adiado.

Por ora, a partida de domingo (contra o Figueirense, pelo Campeonato Brasileiro) segue sendo a penúltima de Ceni na carreira, a última no Morumbi. Até lá, contudo, é possível que o ídolo revele sua decisão final a respeito do assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.