Tamanho do texto

Presidente da Uefa não gosto do fim das investigações e pede para que entidade seja transparente e publique os relatórios

O presidente da Uefa, Michel Platini, questionou a decisão da Fifa de encerrar as investigações sobre as candidaturas de Rússia e Catar para sediar, respectivamente, as Copas do Mundo de 2018 e 2022. Nesta quarta-feira, o francês pediu que a entidade máxima do futebol divulgue a íntegra do relatório feito pelo ex-procurador norte-americano Michael Garcia.

Michel Platini, presidente da Uefa, critica a Fifa
Nikolas Giakoumidis/AP
Michel Platini, presidente da Uefa, critica a Fifa

"Eu gostaria que o relatório fosse publicado em sua totalidade, sempre de acordo com as normas do Comitê de Ética. Certamente, se houve algo mal feito, deveria acontecer uma nova votação (para escolher as sedes das próximas Copas)", disse Platini à agência Efe .

A Fifa decidiu dar o caso por encerrado há duas semanas. O Comitê de Ética da entidade entendeu que as candidaturas de Rússia e Catar não apresentaram nenhuma irregularidade, apesar de pessoas não identificadas terem sido alvo de uma queixa-crime na Suíça por participação ilícita no processo de licitação. A decisão se baseou no resumo do relatório final, um texto de 42 páginas feito por Hans-Joachim Eckert. O encerramento do caso foi criticado por Michael Garcia, que viu um desvirtuamento do conteúdo da investigação no resumo apresentado por Eckert.

Em tom irônico, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, cogitou tornar público o relatório completo da investigação. A declaração de Blatter foi uma resposta ao presidente da Federação Inglesa, Greg Dyke, que, assim como Platini, exigiu a revelação do documento. O mandatário da Fifa alegou que isso só seria possível se todas as pessoas citadas na investigação abrissem mão de qualquer ação contra a entidade máxima do futebol, o que dificilmente acontecerá.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.