Tamanho do texto

Treinador vê São Paulo no limite físico após derrota na Colômbia e prioriza jogo de volta da Sul-Americana em detrimento do clássico pelo Brasileirão

"Ficamos até com pena do nosso time", disse Muricy Ramalho sobre os jogadores do São Paulo depois da derrota de quarta-feira para o Atlético Nacional , na primeira semifinal da Copa Sul-Americana, na Colômbia. O treinador, que disse ter sentido até pena dos atletas pelo cansaço no segundo tempo em Medellín, adiantou que poupará parte da equipe no clássico de domingo contra o Santos, pelo Campeonato Brasileiro.

Leia mais: Ceni lamenta "único erro" do time e pede Morumbi lotado na volta

"Não é questão de poupar", interrompeu o treinador. "Não dá para colocar jogador que não vai acrescentar. Eles estão esgotados. A gente vai pensar e deve mesclar um pouquinho. Nosso time não está se preparando para nada. Os jogadores estão no limite físico e mental, o corpo não obedece mais à cabeça. É humanamente impossível jogar no ritmo que a gente está jogando, com a distância que estamos percorrendo".

Embora matematicamente ainda tenha chance de tirar o título brasileiro do Cruzeiro, o São Paulo precisaria de uma combinação improvável nesta reta final da competição nacional, ao passo que segue vivo no torneio continental, pelo qual faz a segunda semifinal na próxima quarta-feira. Além disso, o duelo com o Santos foi transferido para a Arena Pantanal, e a viagem longa é mais um motivo para poupar titulares.

"Vamos fazer uma viagem de volta (da Colômbia) e depois outra para Cuiabá. Em casa, a gente poderia até arriscar um pouco, mas neste jogo é inviável. Depois, se der uma semana de descanso, dá para jogar duas seguidas de novo. O problema é o jogo de domingo. Se puser esses jogadores no domingo, não tem chance nenhum de jogarem como têm que jogar", argumentou, sem admitir que a Copa Sul-Americana já seja prioridade.

"Não daremos prioridade a nada. É questão de ser humano um pouco também, porque estamos levando no limite. Estamos judiando deles, no bom sentido. Agora, tem que dar uma parada mesmo, senão não vão recuperar para quarta-feira nem para a sequência. Alguns jogadores estão se arrastando para jogar. No final do segundo tempo, ficamos até com pena do nosso time, porque a gente não aguenta mais. Eles estão no limite físico.", afirmou o comandante tricolor.

Entre os possíveis poupados estão o volante Souza e o meia Kaká, que têm apresentado altos índices de desgaste físico. Paulo Henrique Ganso, ao contrário, é um dos cotados a serem "judiados" permanecendo no time titular, de acordo com Muricy.

"Por incrível que pareça, ele sente menos do que todo o mundo. É único que está jogando seguido, que nunca saiu por descanso. É porque ele é leve, joga em uma posição centralizada, em que não precisa correr demais. Ele sabe se posicionar e leva vantagem em relação a isso. Ele tem mais chance de jogar", antecipou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.