Tamanho do texto

Após cumprir suspensão na Sul-Americana, Luis Fabiano está de volta. Kardec e Pato são as outras opções ofensivas

O elenco do São Paulo embarcou na madrugada desta terça-feira rumo à Colômbia, onde enfrentará o Atlético Nacional, pela primeira semifinal da Copa Sul-americana. Na delegação que saiu do Aeroporto Internacional de Guarulhos, Luis Fabiano e Alexandre Pato, atacantes que não estavam à disposição na última viagem pelo torneio, ao Equador.

Luis fabiano e Alan Kardec, atacantes do São Paulo
Site oficial
Luis fabiano e Alan Kardec, atacantes do São Paulo

"É bom, importante. Quem ganha com isso é o grupo. São dois jogadores de qualidade, e é sempre bom ter o elenco fortalecido. Caso um ou outro esteja mais desgastado, temos jogadores com capacidade para resolver a partida, seja no início, seja no decorrer. Quem ganha é o São Paulo", disse o sempre titular Alan Kardec, agora com maior concorrência na posição.

Luis Fabiano esteve fora dos últimos três compromissos pela Sul-americana, período em que cumpriu suspensão da Conmebol por conta de expulsão no jogo de ida das oitavas de final, contra o Huachipato, no Morumbi. Já Pato, recém-recuperado de lesão muscular na coxa esquerda, voltou ao time no domingo, depois de mais de três semanas em recuperação.

Outra novidade em relação à equipe que decidiu a classificação em Guaiaquil, contra o Emelec, é Denilson. O volante não atuou no segundo jogo das quartas de final em função de suspensão automática. Cumprido o gancho por cartão vermelho, ele seguiu nesta terça-feira com a delegação de 21 atletas convocados pelo técnico Muricy Ramalho.

As baixas na lista são os zagueiros Lucão e Rodrigo Caio, que só voltam em 2015, e o meia Maicon, em recuperação de lesão no joelho direito. O lateral esquerdo Álvaro Pereira está a serviço da seleção uruguaia, porém se juntará ao restante do grupo na quarta-feira.

Jogadores relacionados :

Goleiros: Rogério Ceni e Denis
Laterais: Álvaro Pereira, Auro e Reinaldo
Zagueiros: Edson Silva, Antônio Carlos, Paulo Miranda e Rafael Toloi
Volantes: Hudson, Denilson, Souza e Michel Bastos
Meias: Boschilia, Paulo Henrique Ganso e Kaká
Atacantes: Alan Kardec, Luis Fabiano, Alexandre Pato, Ademilson e Osvaldo

São Paulo se previne desta vez e poderá fazer treino em estádio

Escaldada pela surpresa ruim em Guaiaquil, quando o time foi proibido de última hora pelo Emelec de treinar no palco da segunda partida das quartas de final, a diretoria do São Paulo acertou com antecedência a liberação (sem restrição) da utilização do Atanasio Girardot, estádio do Atlético Nacional, adversário de quarta-feira, em Medellín.

"Recebemos há pouco a confirmação do uso do campo para treinamento", disse o gerente executivo de futebol do clube, Gustavo Vieira, momentos antes de embarcar para a Colômbia, na madrugada desta terça-feira.

O que facilitou a liberação foi o histórico de cordialidade entre as duas equipes, que já se enfrentaram diversas vezes, as mais recentes delas na temporada passada, igualmente pela Copa Sul-americana, nas quartas de final. No acordo, também ficou estabelecido que o Nacional poderá usar o Morumbi no dia 25, véspera da segunda semifinal.

Há duas semanas, a delegação brasileira foi surpreendida ao chegar ao George Capwell, estádio do Emelec, e ser informada de que os jogadores não poderiam pisar de chuteira no gramado. De fato, conforme o regulamento do torneio, o clube mandante é obrigado tão somente a permitir o reconhecimento do campo de jogo com "calçado de sola de borracha", o que "não implica que o time visitante possa realizar um treinamento, salvo autorização expressa" da equipe local.

Revoltado, o técnico Muricy Ramalho chamou os atletas de volta para o hotel, onde eles realizaram apenas um trabalho de fortalecimento muscular sob orientação dos preparadores físicos. "Isso é um absurdo. Eles acham que é uma guerra, e não é", reclamou, na ocasião. Em contrapartida, às vésperas da viagem desta terça-feira, ele já apostava em um tratamento diferente por parte dos colombianos.

"Já fui para Medellín umas dez vezes, o São Paulo sempre joga lá. Na Colômbia, as pessoas são muito educadas. É um dos melhores lugares para se jogar. Sempre fomos bem tratados. A torcida não é agressiva. Você chega e sai com tranquilidade. O povo de lá é realmente diferente, educado", elogiou o treinador, que comandará atividade no Atanasio Girardot às 22 horas (de Brasília) desta terça-feira, mesmo horário do jogo, marcado para o dia seguinte.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.