Tamanho do texto

Vitória foi a quinta sob o comando de Dunga, até agora com aproveitamento de 100% desde que retornou ao cargo

Dunga assumiu a seleção brasileira com a missão de voltar a inspirar admiração em seus adversários. Nesta quarta-feira, contra a Turquia, ele conseguiu. Assim como fizeram os brasileiros para os alemães na vexatória goleada sofrida na última Copa do Mundo , os turcos transformaram vaias em aplausos para o time rival em uma goleada por 4 a 0 sofrida no Estádio Sukru Saracoglu. Foi o quinto resultado positivo do Brasil em cinco jogos desde a saída de Luiz Felipe Scolari.

A vitória em Istambul acabou construída com dois gols de Neymar, um de Kaya (contra) e outro de Willian, um dos grandes destaques brasileiros diante da Turquia. O atacante do Barcelona teve o seu nome gritado por quem estava nas arquibancadas no decorrer do segundo tempo do amistoso e retribuiu com acenos.

Leia: De Doda a Yaya: Anderson Talisca dribla a pobreza para virar sensação na Europa

Com a sua melhor apresentação sob o comando de Dunga, o Brasil junta o triunfo sobre a Turquia àqueles contra Colômbia (1 a 0), Equador (1 a 0), Argentina (2 a 0) e Japão (4 a 0). Na terça-feira, tentará manter o 100% de aproveitamento com o sucessor de Felipão diante da Áustria, novamente na casa do time adversário.

O jogo

A seleção brasileira não demorou a entrar em contato com a tão alardeada pressão dos torcedores turcos. Assim que a partida começou, a troca de passes da equipe dirigida por Dunga foi marcada por muitas vaias de quem estava nas arquibancadas do Estádio Sukru Saracoglu.

Neymar se surpreende com idolatria e promete levar Turquia no coração

Os jogadores responsáveis por marcar o Brasil de fato, no entanto, não estavam tão inspirados. Embora Neymar tenha levado um chapéu de Irtegun logo no princípio do jogo, aos 15 minutos ele recebeu um presente. O atacante saiu à frente do goleiro Demirel após um recuo errado da defesa turca e chegou a aplicar o drible, porém perdeu o ângulo para a conclusão.

Torcedores: Neymar supera fanatismo turco, ganha aplausos e tem nome gritado pela torcida

O primeiro gol do Brasil veio pouco depois. Aos 19, Fernandinho acertou um ótimo lançamento para Neymar, que deixou os turcos para trás na corrida. Diante do goleiro, chutou no canto para abrir o marcador e deixar ainda mais insegura a marcação da seleção mandante.

O atacante Roberto Firmino ganhou sua primeira oportunidade com a camisa da seleção brasileira diante da Turquia
Bruno Domingos/Mowa Press
O atacante Roberto Firmino ganhou sua primeira oportunidade com a camisa da seleção brasileira diante da Turquia

Aos 23 minutos, os defensores adversários deram mais uma prova de que colaboravam com o time de Dunga. Danilo cruzou da direita e, antes mesmo que Luiz Adriano pudesse concluir, Kaya chutou contra o próprio gol.

Até aquele momento, além de sofrer no campo defensivo, a Turquia ainda não havia finalizado nem uma vez sequer. Bulut se encarregou de acabar com a situação, mas seria melhor que não o tivesse feito. O chute de longa distância saiu completamente torto, gerando insatisfação na torcida local.

Esse panorama deu tranquilidade à seleção brasileira administrar a partida, à base de muita troca de passes, e ainda incomodar os turcos com contra-ataques rápidos. Nesse ponto, o destaque ia para Willian, que fazia boa parceria com Danilo pelo lado direito e quase sempre levava perigo.

Quando o Brasil ficou mais acomodado, após meia hora de amistoso, a Turquia finalmente foi produtiva. Turan fez o goleiro Diego Alves trabalhar com um belo chute colocado, da entrada da área, e Erdinç assustou com uma cabeçada após cruzamento da esquerda. A bola passou perto do gol.

Mas a seleção brasileira ainda era muito superior. Aos 43 minutos, Neymar arrancou pelo lado esquerdo do campo e, apesar da forte marcação, conseguiu fazer o passe para Willian. O meia bateu para o gol da direita e arrancou aplausos dos torcedores da Turquia. As vaias mudaram de lado, sendo direcionadas para a equipe da casa.

No intervalo, o técnico Faith Terim não economizou nas alterações, na tentativa de amenizar o resultado adverso. Entraram o goleiro Babacan, Inan, Erkin e Sen nos lugares de Demirel, Altintop, Kisa e Erdinç. O que não mudou mesmo, contudo, foi a qualidade da seleção da Turquia.

Em pouco tempo, a Seleção Brasileira voltou a trazer o público local para o seu lado. Um belo elástico de Willian, entre dois marcadores, uma cabeçada de David Luiz e uma arrancada de Neymar foram acompanhadas com euforia por quem estava nas arquibancadas.

Aos 14 minutos, Neymar trouxe de vez os torcedores turcos para o lado brasileiro. Ele tabelou com Willian, invadiu a área pela esquerda e concluiu na saída do goleiro Babacan para transformar a vitória em goleada. Depois, reverenciado pelo público, acenou bastante, satisfeito ao ouvir o seu nome ecoar no Estádio Sukru Saracoglu.

O Brasil diminuiu o ritmo a partir de então. Dunga aproveitou para fazer alguns testes, com Casemiro, Philippe Coutinho, Douglas Costa e Roberto Firmino nas vagas de Fernandinho, Oscar, Willian e Luiz Adriano. Mais tarde, o jovem Fred substituiu Luiz Gustavo. Àquela altura, porém, o jogo já estava definido.

FICHA TÉCNICA
TURQUIA 0 X 4 BRASIL

Local: Estádio Sukru Saracoglu, em Istambul (Turquia)
Data: 12 de novembro de 2014, quarta-feira
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Rayshan Irmatov (Uzbequistão)
Assistentes: Abdukhamidullo Rasulov e Jakohngi Saidov (ambos do Uzbequistão)
Cartão amarelo: Erkin (Turquia)
Gols: BRASIL: Neymar, aos 19, Kaya (contra), aos 23, e Willian, aos 43 minutos do primeiro tempo; Neymar, aos 14 minutos do segundo tempo

TURQUIA: Demirel (Babacan); Koybasi, Irtegun e Kaya; Hamit Altintop (Inan), Tufan, Kisa (Erkin), Turan e Topal (Çamdal); Erdinç (Sem) e Bulut (Potuk)
Técnico: Faith Terim

BRASIL: Diego Alves; Danilo, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Fred), Fernandinho (Casemiro) e Oscar (Philippe Coutinho); Willian (Douglas Costa), Luiz Adriano (Roberto Firmino) e Neymar
Técnico: Dunga