Tamanho do texto

Presidente Paulo Nobre afirma já ter acertado os salários com o atacante e tenta buscar maneira de desembolsar R$ 2 milhões

Por contrato, o Palmeiras  precisa pagar R$ 2 milhões ao Mirassol até o fim do ano para renovar com Henrique, e é exatamente essa parte da negociação que falta para manter o artilheiro do Campeonato Brasileiro. Segundo o presidente Paulo Nobre, já existe um acerto salarial com o jogador, cujo contrato acaba em 31 de dezembro.

Henrique é artilheiro do Brasileirão com 15  gols
Gazeta Press
Henrique é artilheiro do Brasileirão com 15 gols

Confira a tabela completa do Campeonato Brasileiro

"Os salários estão acertados, está tudo certo. Só falta arrumar um investidor que nos ajude a bancá-lo no Palmeiras", informou o presidente durante sua participação no programa Mesa Redonda , da TV Gazeta , nesse domingo.

Henrique culpa quique da bola em gol perdido e não desliga alerta

O dirigente não mostrou ter dúvidas quanto à permanência do autor de 15 gols no torneio e artilheiro do Verdão na temporada do centenário do clube. "É o artilheiro do Campeonato Brasileiro e está supervalorizado, mas já temos conversas adiantadas para adquirir parte do Henrique e ele continuar no Palmeiras."O Mirassol detém 100% dos direitos econômicos de Henrique. Embora tenha a participação de empresários para manter o clube, o Mirassol diz que todos estão de acordo e apenas esperam o depósito dos R$ 2 milhões previstos no contrato de empréstimo do atacante. Nem cogita que apareçam concorrentes, que só poderiam entrar na disputa após 31 de dezembro.

A permanência de Henrique pode ser uma das poucas na reformulação prometida por Nobre. Caso vença as eleições do dia 29, o presidente deseja reduzir o elenco que comporta mais de 40 atletas diariamente na Academia de Futebol e economizar na folha salarial, mesmo promovendo a chegada de reforços.

"Por ser um ano de Copa, sabíamos que precisaríamos de um elenco um pouco maior em 2014 porque os jogos estariam encavalados e as contusões aconteceriam. Em 2015, queremos o elenco um pouco mais enxuto. A ideia não é aumentar a folha salarial, mas diminuir o número de jogadores e buscar contratações pontuais para ter um time forte que brigue por títulos", projetou o presidente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.